Fundos Multimercados: o acessório que não pode faltar no seu guarda-roupa de investimentos

Antes de investir, é fundamental saber sobre impostos, nível de risco e quais produtos são oferecidos
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
Além de combinar diversos tipos de aplicações, os fundos multimercados também podem ser divididos em níveis de risco de investimento.

Toda mulher tem aquela bolsa que cabe tudo, versátil, bonita e, quando bem organizada, é capaz de dar agilidade ao nosso dia a dia. Eu comparo esse super acessório do nosso guarda-roupa aos fundos multimercados: flexíveis, diversificados e disponíveis para todos os estilos!

Sim, os multimercados são uma excelente opção para a trajetória de independência financeira. Não por acaso, essa é a categoria que o Fundo EQL investe, fundo de fundos (FoF) multimercado da casa criado para as mulheres que querem lucrar na vida financeira. 

Na semana anterior, falamos sobre o que são os fundos de investimentos e tudo o que é importante saber antes de investir. Nesta coluna, eu quero falar das principais características dos multimercados, sua operação, tributação, riscos e oportunidades. Afinal, mulheres que lucram se capacitam para tomar as melhores decisões financeiras!

Mas afinal, o que é um fundo multimercado?

Um fundo multimercado é uma categoria dos fundos de investimentos que investe em diferentes produtos financeiros, mesclando ativos de renda fixa com câmbio, ações e até mesmo outros fundos.  Por isso o nome multimercado: uma variedade de mercados dentro do guarda-chuva do mesmo fundo. 

OLHA SÓ: 10 mães que lucram em todas as áreas da vida

No mercado financeiro existem também outros fundos, tais como os fundos de renda fixa, de investimento imobiliário, de ações, cambial e por aí vai. Cada um deles tem estilos próprios e investem em diferentes produtos financeiros. Os multimercados podem combinar esses produtos e reuni-los em uma única aplicação financeira, já que não precisam se adequar às regras que são aplicadas às outras categorias de fundos.  

Os multimercados podem ser divididos ainda por níveis de riscos: conservador, moderado ou agressivo. Isso quer dizer que um fundo multimercado conservador terá uma carteira menos exposta a riscos do que um agressivo, por exemplo. Tenha em mente que a menor exposição a riscos quer dizer também menor possibilidade de lucro com o seu investimento. 

Uma informação importante é que os fundos não têm cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) ou qualquer outro tipo de garantia, por isso é importante conhecer os ativos investidos pelo fundo, acompanhar o trabalho do gestor e, claro, não menos importante: segurar a ansiedade diante das oscilações naturais do mercado. 

A figura do gestor ou gestora é super importante nos fundos multimercados. São eles que vão tomar as decisões de investimento por você. Nos multimercados os gestores têm mais flexibilidade (quando comparados a outros tipos de fundos) para entrar e sair de investimentos com o objetivo de atingir a rentabilidade alvo, traçando estratégias de acordo com a conjuntura econômica do país. 

E os impostos?

A primeira coisa a saber antes de entrar num fundo multimercado é que no saque dos recursos investidos por menos de 30 dias há a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Portanto, nada de resgate com menos de 30 dias. Se você irá precisar desse dinheiro em curtíssimo prazo, os fundos multimercados não devem ser uma opção para o seu patrimônio. 

Disto isto, você também pagará imposto de renda sobre a rentabilidade obtida com o fundo. Esse imposto é cobrado automaticamente nos meses de maio e novembro, o chamado come-cotas. O imposto de renda é cobrado, portanto, automaticamente em cima da sua rentabilidade a cada seis meses e não no momento de saque do seu investimento. 

E AINDA: Conheça o fundo FOF e saiba como ele pode ajudar na conquista pela independência financeira

A alíquota do imposto de renda segue a tabela regressiva, isso quer dizer que quanto mais tempo o dinheiro permanecer aplicado, menor será a alíquota do imposto devido. Os fundos multimercados podem ter sua carteira classificada entre curto prazo e longo prazo, veja as alíquotas abaixo:

Fundos Multimercados de Curto Prazo

  • 22,5% aplicações de até 180 dias
  • 20% aplicações de 181 dias ou mais 

Fundos Multimercados de Longo Prazo

  • 22,5% aplicações de até 180 dias
  • 20,0% aplicações de 181 dias a 360 dias
  • 17,5% aplicações de 361 dias a 720 dias
  • 15,0% aplicações com 721 dias ou mais

Eu falei no post anterior sobre as taxas específicas que podem ser cobradas de cada fundo. Se você ainda não leu, vale a pena voltar e entender quais outras cobranças podem existir em um fundo de investimento. 

Riscos e Oportunidades

Você deve estar se perguntando: “Com tantas taxas e impostos ainda vale a pena investir em um fundo multimercado?” A resposta é sim, ainda pode valer muito a pena, mas a rentabilidade do fundo irá depender de uma série de fatores, tais como as decisões tomadas pelos gestores, condições de mercado, estratégia do fundo e o impacto das taxas cobradas na sua rentabilidade. 

Os custos, é verdade, podem atrapalhar os resultados do seu investimento. É por isso que entender todos esses fatores é fundamental para avaliar se um determinado fundo está, de fato, contribuindo para o crescimento do seu patrimônio em longo prazo. 

VEJA AQUI: Tudo o que você precisa saber antes de entrar em um fundo de investimentos

Entre as vantagens oferecidas pelos multimercados estão a gestão profissional dos seus recursos e a diversificação que esses fundos podem trazer para os seus investimentos, além da possibilidade de rentabilidade bem acima das aplicações atreladas ao CDI. 

Nunca é muito dizer que os multimercados não são o lugar para a sua reserva de emergência!

Na próxima semana vamos falar sobre os outros tipos de fundos que existem no mercado financeiro e como eles se diferenciam dos multimercados!

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: