Oscar 2021: conheça Chloé Zhao, primeira mulher asiática a vencer a categoria de Melhor Direção

Além da cineasta, outras 13 mulheres foram premiadas na 93ª edição da mais importante premiação do cinema
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Chris Pizzello/Pool/Reuters
Tanto as produções de Chloé quanto sua trajetória profissional e formação, apontam para o mesmo caminho: desconstruir a ilusão, a romantização, dos sonhos da vida americana amplamente vendidos nas produções hollywoodianas

A noite foi de muitas emoções na 93ª cerimônia do Oscar, realizada ontem (25) nas cidades de Londres, Los Angeles e Paris. Pela primeira vez, a maior premiação do cinema contemplou uma mulher de origem asiática com a estatueta da categoria de Melhor Direção. Chloé Zhao, de 39 anos, levou a melhor pelo filme “Nomadland”, que conta a trajetória de uma mulher, Fern, uma nômade à procura de bicos para sobreviver durante um período de pós-depressão econômica nos Estados Unidos. A produção também foi premiada como Melhor Filme da edição.

Nascida em 1992, na China, Chloé viveu até os 14 anos em Pequim. Após o período, estudou em um internato na Inglaterra e cursou o ensino médio e a faculdade de Ciência Política nos Estados Unidos. Em 2010, após perceber que não seguiria carreira no universo político, a cineasta se mudou para Nova York, onde mergulhou de vez no oceano do cinema, teve aulas com Spike Lee e ingressou na Universidade de Nova York.

OLHA SÓ: 5 características de mulheres líderes

No mesmo ano, o curta de estreia de Chloé foi premiado. Em 2015, ela produziu seu primeiro longa, “Songs My Brother Taught Me”, e, em 2017, chamou atenção com seu segundo filme, “Domando o Destino”.

Tanto as produções de Chloé quanto sua trajetória profissional e formação, apontam para o mesmo caminho: desconstruir a ilusão, a romantização, dos sonhos da vida americana amplamente vendidos nas produções hollywoodianas.

Com 11 anos de carreira no cinema, Chloé, hoje, vive nos Estados Unidos e se identifica como norte-americana. O longa “Nomadland’”, que rendeu à cineasta a estatueta de Melhor Direção no Oscar 2021, carrega em sua história mais de 50 prêmios, entre eles o Leão de Ouro e quatro categorias do 36º Independent Spirit Awards.

Em seu discurso na premiação histórica, Chloé falou sobre bondade e encorajou a busca pelos sonhos em um ambiente desafiador. Parte deste desafio foi superado na edição deste ano do Oscar: a tão criticada falta de reconhecimento do trabalho das mulheres artistas que estão à frente ou atrás das câmeras foi revertida em 13 estatuetas entregues a elas na 93ª edição da tradicional premiação.

“Este prêmio é para qualquer pessoa que tem fé e coragem para se agarrar à bondade dentro delas e à bondade dos outros, mesmo quando é muito difícil fazer isso. Esse prêmio é para vocês. Vocês me inspiram a seguir em frente.” Chloé Zhao

LEIA AQUI: Quer começar a empreender? Siga nosso passo a passo

Antes de Chloé Zhao, apenas mais uma mulher havia recebido o prêmio de Melhor Direção: Kathryn Bigelow, por “Guerra ao Terror” em 2010.

Veja a seguir quem são as outras 13 mulheres vencedoras do Oscar 2021 e suas respectivas categorias:

Frances McDormand
Categoria: Melhor Atriz
Produção: “Nomadland”

Youn Yuh-jung
Categoria: Melhor Atriz Coadjuvante
Produção: “Minari”

Emerald Fennell
Categoria: Melhor Roteiro Original
Produção: “Bela Vingança”

Dana Murray
Categoria: Melhor Animação
Produção: “Soul”

Pippa Ehrlich
Categoria: Melhor Documentário
Produção: “Professor Polvo”

Jan Pascale
Categoria: Melhor Design de Produção
Produção: “Mank”

Ann Roth
Categoria: Melhor Figurino
Produção: “A Voz Suprema do Blues”

Michelle Couttolenc
Categoria: Melhor Som
Produção: “O Som do Silêncio”

Tiara Thomas
Categoria: Melhor Canção Original
Produção: “Judas e o Messias Negro”

Mia Neal e Jamika Wilson
Categoria: Melhor Cabelo e Maquiagem
Produção: “A Voz Suprema do Blues”

Alice Doyard
Categoria: Melhor Curta de Documentário
Produção: “Colette”

Chloé Zhao, Frances McDormand e Mollye Asher
Categoria: Melhor Filme
Produção: “Nomadland”

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: