Como uma ex-cortadora de cana fundou um e-commerce milionário de joias

Sabrina Nunes é a empresária por trás da Francisca Joias, loja online que vende 700 peças por dia
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Sabrina Nunes é fundadora da Francisca Joias (Via: Divulgação)

Aos 14 anos, em Itinga, no norte de Minas Gerais, Sabrina Nunes teve sua primeira epifania como vendedora. Responsável por comercializar os picolés caseiros feitos pela mãe, ela descobriu que a zona rural da cidade não tinha acesso à energia elétrica. Dias depois, estava na roça vendendo os produtos em frente à porta da igreja. “Se não tinha energia, não tinha como ter sorvete”, diz. O resultado? Quase 100% da produção vendida. 

O episódio foi só o início da jornada de Sabrina no comércio. Atualmente, aos 36 anos, ela é fundadora da Francisca Joias, e-commerce milionário que vende cerca de 700 peças por dia. Batizado em homenagem à avó da empreendedora, o negócio chegou a registrar crescimento de 27,6% durante a pandemia. Além das vendas, a empresária também comanda um programa de mentoria para quase 4.000 alunas que sonham em empreender na internet.

LEIA MAIS: De refugiada política à executiva prodígio: como Mariam Topeshashvili chamou a atenção do Rappi

“Chegar até aqui e conseguir realizar meus sonhos não tem preço”, assume. É com serenidade na voz que a mineira afirma que conseguiu comprar uma casa grande, conhecer países distantes e matricular os dois filhos na melhor escola do Rio de Janeiro. Uma realidade bem diferente daquela que a trouxe ao mundo dos negócios há quase uma década.

Do canavial para o mundo online

“Não é fácil criar algo do zero, mas também não é fácil acordar todo dia às 4h para não ganhar o suficiente no final do mês”, diz. Aos 19 anos, Sabrina se mudou com o padrasto para o Mato Grosso do Sul em busca de trabalho. Lá, acabou indo para um canavial, onde foi contratada como cortadora de cana. “Era muito difícil ficar ali”, lembra. De olho em melhores oportunidades, permaneceu na lavoura por apenas um mês, até ser transferida para o escritório da empresa para trabalhar como secretária. 

O novo ambiente ampliou suas perspectivas. Lá, a jovem do interior conheceu engenheiros que ganhavam cerca de R$ 5 mil por mês. O valor, considerado alto para seus padrões da época, acabou virando uma meta pessoal. “Eu pensei: ‘O que eles têm que eu não tenho para ganhar isso?’”. A resposta a levou a prestar vestibular em busca de uma bolsa de estudos. Meses depois, soube que tinha sido beneficiada para cursar engenharia de produção no Rio de Janeiro. 

Ao contrário do que esperava, porém, a ideia tida para aumentar seus ganhos não veio da sala de aula.  Morando em um quarto com a irmã na Tijuca, Sabrina estudava e trabalhava em regiões afastadas, passando parte do dia no transporte público. “Um dia, no ônibus, li em uma revista que uma mulher estava ganhando os mesmos R$ 5 mil vendendo na internet.” Sem perder tempo, no dia seguinte a jovem foi até uma loja com os R$ 50 que tinha e comprou tudo em bijuterias. “Sempre acreditei que podia faltar dinheiro, mas não podia faltar ação”, diz. Colocou as peças em um marketplace,  e, assim, deu início à Francisca Joias em janeiro de 2012. 

VEJA TAMBÉM: Simone Ponce: da violência doméstica à criação de um marketplace de refeições caseiras

Sem muitas referências de e-commerces brasileiros, a empresária não sabia que expectativas criar a respeito do volume de vendas. Assim, quando meses depois conseguiu ganhar os tão sonhados R$ 5 mil em um único dia, teve a certeza de que estava no caminho certo. “Naquela época, a internet ainda era terra de ninguém, faltavam pessoas para servir de inspiração”, recorda. Uma oportunidade que não passou despercebida pela mineira. Logo, Sabrina passou a investir em anúncios e conteúdo digital, aumentando sua visibilidade. “A loja estava no lugar certo na hora certa. Isso fez toda a diferença.”  

Sabrina faz mentoria de negócios para outras mulheres (Via: Divulgação)

Com o crescimento da empresa também foi preciso investir em funcionários, infraestrutura e especializações. “Não concluí minha faculdade de engenharia, mas fiz todos os cursos que pude sobre empreendedorismo e vendas na internet”, conta. Ao longo dos últimos nove anos, a Francisca Joias se tornou um dos maiores e-commerces de joias do país, com 3.500 peças à venda. 

A experiência de longa data nas redes sociais fez com que Sabrina passasse a compartilhar dicas de marketing digital com seus mais de 500 mil seguidores no Instagram. A mídia, assim como sua plataforma de mentoria, intitulada “Impacto”, fazem parte do seu novo objetivo profissional. Com a independência financeira garantida, a empresária quer ajudar outras mulheres a se tornarem empreendedoras e conquistarem independência. “Não trabalho mais por mim, mas por elas.”

Atualmente, sua meta é ajudar na criação de 1.000 lojas online e fazer com que esses negócios realizem 600 vendas em um único dia. “Estou me esforçando para tornar isso real”, garante. Entre as dicas que considera mais relevantes para quem acabou de começar, estão a iniciativa e o imediatismo. “Comece com o que você tem hoje. Não espere comprar um celular novo ou aprender a usar um programa de edição. O melhor dia para entrar na internet foi ontem, o segundo melhor é hoje. A cada dia que passa você fica mais para trás.”

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Participe da live Meu Primeiro Investimento

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: