7 comportamentos no ambiente de trabalho que podem acabar com a carreira

Modo de agir diante dos colegas e compromissos pode impactar na ascensão profissional a longo prazo
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Ações prejudiciais podem ser tomadas de maneira involuntária (Foto: Pexels)

Como já dizia o escritor austríaco Peter Drucker, “as pessoas são contratadas por suas habilidades técnicas, mas são demitidas por seus comportamentos”. Essa constatação deixa claro que, mais do que correr atrás de um currículo perfeito, os profissionais devem garantir uma postura ética e madura se quiserem ascender na carreira. 

A forma de lidar com os problemas, falar com os colegas e até assimilar feedbacks são alguns dos pontos que podem acabar contribuindo ou prejudicando o desempenho de cada colaborador no ambiente de trabalho. 

“Uma postura ética e coerente cria grandes oportunidades de crescimento”, explica a psicóloga e mentora de carreiras Fernanda Tochetto. De acordo com a especialista, o efeito positivo do bom comportamento ainda é capaz de abrir portas para chances futuras, principalmente devido à indicação – o famoso networking. “Precisamos ter consciência de que sempre tem alguém nos observando”, afirma. 

Do mesmo modo, destaca ela, uma postura incoerente e irresponsável acaba minando as possibilidades profissionais, além de aumentar a instabilidade da carreira como um todo. 

LEIA MAIS

Vale lembrar que, muitas vezes, ações prejudiciais podem ser tomadas de maneira involuntária, já que os comportamentos reprovados vão além de fofocas e simples atrasos. “Dormir pouco durante a noite e até passar muito tempo no celular são hábitos que acabam impactando negativamente a vida profissional, resultando em baixa produtividade e na famosa procrastinação”, exemplifica Fernanda. 

Na prática, a mentora ainda destaca que a importância da boa convivência pode ser percebida naqueles profissionais cuja vasta experiência não resulta em promoções ou recompensas, enquanto outros, menos capacitados, conseguem se projetar rapidamente devido ao bom desempenho social. 

“Precisamos entender que somos sempre a nossa vitrine e que a forma como nos apresentamos será interpretada e levada para outros lugares, impactando as oportunidades que vão surgindo ao longo do caminho”, afirma. 

Caroline Marcon, consultora organizacional, coach executiva e professora de MBAs de gestão estratégica de pessoas e liderança da FGV/SP, ressalta a importância das boas práticas no ambiente de trabalho e destaca sete comportamentos que devem ser evitados por quem procura se destacar profissionalmente. Veja, a seguir, quais são eles:

Prometer muito, entregar pouco

O medo de não corresponder às expectativas faz com que muitos profissionais prometam mais do que podem entregar. No entanto, esse tipo de atitude “heroica” pode fazer com que o funcionário perca a credibilidade ao menor dos deslizes, abalando toda a confiança da equipe. “Assim, conhecer e gerenciar expectativas, medos e emoções é necessário para manter a calma e a reputação”, diz Caroline.

Sempre achar problemas, mas nunca propor soluções

Ninguém quer ficar próximo de alguém pessimista, cujas falas são carregadas de críticas e negatividade. Além disso, esse perfil profissional costuma ser conhecido por apresentar uma série de problemas no andamento do trabalho, sem nunca propor uma saída ou solução. Segundo a especialista, esse tipo de colaborador acaba interferindo no trabalho e motivação dos demais, resultando em problemas a médio e longo prazos. “Pare de falar coisas negativas a todos e reconheça o que os outros têm de melhor”, aconselha.

Evitar mudanças a todo custo 

Enquanto alguns profissionais acabam prometendo mais do que podem cumprir, outros extremamente temerosos podem acabar pecando pela omissão, inação e passividade. Ao optar sempre pela segurança, esse tipo de colaborador costuma perder as recompensas que só os desafios são capazes de proporcionar, incluindo uma guinada na carreira. “Disrupção pede inovação. Isso vale para os mercados e também para o ser humano. Atualize-se para se manter relevante”, afirma.

Não assumir os erros e optar por desculpas

Segundo a consultora organizacional, quem aceita correr riscos no trabalho inevitavelmente acaba cometendo erros. “Faz parte do jogo e, quando isso acontecer, o profissional não deve dar desculpas e se fazer de vítima. Isso só vai piorar a situação”, declara. Sendo assim, a atitude correta  é procurar demonstrar total compromisso em reparar a situação e até mesmo pedir ajuda para o restante do time. ”Busque aprender com a situação e encontre uma maneira visível de marcar alguns pontos e se recuperar.”

Não pedir feedback e ignorar as críticas construtivas que recebe

“Quem está disposto a se desafiar e crescer já sabe que as críticas são parte inevitável da jornada”, diz Caroline. Por isso, segundo a consultora, o profissional que quer se destacar em relação aos demais precisa procurar sempre se cercar de pontos de vista distintos sobre o seu desempenho. Apesar disso, é importante filtrar o que é ou não uma crítica útil e bem-vinda. “Procure encontrar um ponto de equilíbrio. Se ignorar todas as críticas, você deixará de se conectar com as pessoas e pode deixar passar feedbacks importantes. Se absorver todas  as críticas, você vai perder a liberdade de ser quem é e de fazer suas próprias escolhas”, aconselha. 

Tratar melhor o gestor do que os colegas de equipe

Nenhum profissional que faz distinção entre comandantes e comandados será respeitado no longo prazo pelos colegas, diz Caroline. “Mas ganhar confiança, respeito e a colaboração dos pares é fundamental para criar um ambiente de trabalho saudável e, assim, alcançar bons resultados.” Por isso, o bom relacionamento é aconselhado para todos os colegas, independentemente de seus níveis de atuação.

Não se posicionar

Um profissional que não gera impacto entre seus colegas e gestores passa a impressão de que não faz diferença no ambiente. De acordo com a especialista, quem deseja obter sucesso profissional deve ser apaixonado pelo que faz e demonstrar isso em suas ações. “A paixão traz consigo criatividade e garra. É a energia positiva que permite a todos seguir em frente nos dias bons e, principalmente, nos dias ruins.”

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: