Como transformar sua cozinha num ambiente sustentável

O simples preparo de uma refeição pode sim ter impacto no meio ambiente. Desde o desperdício da comida ao descarte que faz dos resíduos
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Iryna Khabliuk/Envato Elements
No Brasil, são jogadas fora, por ano, 26,3 milhões de toneladas de alimentos próprios para o consumo, conforme a FAO

Muito se ouve falar de sustentabilidade. Pouco se pratica. Vamos testar como anda seu comportamento na área que é comum a todos: a cozinha. Você tem práticas sustentáveis na sua cozinha? O simples preparo de uma refeição pode sim ter impacto no meio ambiente. Desde o desperdício da comida ao descarte que faz dos resíduos.

Só para se ter uma ideia, no Brasil, jogamos fora, por ano, 26,3 milhões de toneladas de alimentos, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Este montante desperdiçado poderia saciar a fome de 11 milhões de pessoas.

VEJA TAMBÉM: Quer começar a empreender? Siga nosso passo a passo

Outros números de um estudo da Embrapa (2018) chamam atenção: uma família média brasileira desperdiça quase 130 kg de comida por ano, uma média de 41,6 kg por pessoa. E os alimentos que mais vão para o lixo, por percentual do total desperdiçado, são arroz (22%), carne bovina (20%), feijão (16%) e frango (15%). E os alimentos caros do jeito que estão, é melhor ver urgentemente seus hábitos e evitar o desperdício.

O Instituto Akatu, uma organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente, listou algumas medidas que ajudam na prática sustentável de sua cozinha. Que tal se inspirar e começar a praticar?

Alimentação

1. Para não comprar em excesso, faça o cardápio da semana antes de ir à feira e ao mercado. Assim, você comprará somente o necessário para preparar o que está nele. Evita sobras e possíveis desperdícios.

2. Na hora de cozinha, tente aproveitar ao máximo verduras, frutas, legumes. Cascas, sementes, folhas. Na sua maioria, são a parte mais nutritiva.

3. Uma boa opção é ter uma horta caseira. É econômico e mais sustentável.

4. Fique de olho no armazenamento correto para não estragar os alimentos.

5. Uma boa dica é o congelamento. Tire um dia para cozinha, porcionar e congelar, sempre etiquetando e datando. A vantagem é o tempo que se economiza, dinheiro e energia. Só descongele o que for realmente usar, porque uma vez descongelado não pode ser congelado de novo. Opte por descer a porção do congelador na noite anterior. Assim nem precisa usar o micro-ondas e poupa energia.

Descarte de resíduos

1. Procure separe os itens recicláveis, desde latinhas, embalagens plásticas, dos orgânicos. Se na sua rua não tem coleta seletiva, solicite à prefeitura de sua cidade.

2. Para quem quer mesmo embarcar na sustentabilidade, ter uma composteira é uma boa opção. A composteira é onde você pode colocar boa parte dos restos de alimentos para produzir adubo para seu jardim ou horta caseira, para o jardim do prédio ou uma praça comunitária. Assim, as partes dos produtos que não puderam ser consumidas como alimento retornam ao solo como nutrientes.

3. Muita atenção! Nunca descarte óleo de cozinha na pia. Ele entope as tubulações e contamina a água. Um prejuízo para o bolso e para o meio ambiente. Armazene em uma garrafa PET e leve para reciclagem, já que o óleo pode ser reutilizado na produção de sabão e outros produtos. Procure ONGs que recolhem o material, fabricam sabão, vendem e o dinheiro é revertido para causas sociais.

Utensílios

1. Na hora de comprar um eletrodoméstico, escolha um com selo de eficiência energética, o famoso Procel. E dê preferência a panelas que apresentem características de produção sustentável e com maior durabilidade.

2. Quando não estiver usando aparelhos como micro-onda, cafeteira e outros eletrônicos, tire da tomada. Saiba que esta ação pode gerar uma economia de até 5% na conta de luz da sua casa.

3. Uma atenção especial à geladeira, já que é o aparelho que gasta consome energia na cozinha. Sua temperatura não deve estar abaixo de 3ºC. No caso do freezer, o indicado é -15ºC. E se você tem o hábito de “abrir a geladeira e ficar contemplando o que tem para ver o que quer comer”, pare com isso. O abre e fecha da geladeira aumenta o consumo de energia.

4. Na hora de lavar os alimentos, uma forma de controlar o uso da água é lavá-los usando bacias com água. Você lava na primeira e enxágua na segunda. Assim, evita deixar a torneira aberta, que, em média, gasta 117 litros de água a cada 15 minutos.

5. Para lavar os pratos, opte por buchas vegetais. Elas são biodegradáveis e podem ser reutilizadas quando fervidas em água. As outras, tipo esponja, são produzidas com derivados do petróleo, fonte de energia não renovável cuja exploração traz grande risco de contaminação ambiental, do ar e da água.

Adote todos ou a maior parte destes hábitos. É uma opção benéfica para o bolso e meio ambiente.

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: