Salário pequeno ou grandes gastos? Descubra o caminho para equilibrar suas contas

Saber o quanto gasta é mais importante do que saber o quanto ganha para ter um orçamento equilibrado
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Diego Cervo/Envato Elements
Conhecer seus gastos é a melhor forma de saber para onde seu dinheiro vai. Anote tudo para visualizar suas despesas

Seu salário acaba e o mês ainda continua? Já parou para pensar que o problema pode não ser o quanto ganha e sim o quanto gasta? Antes você reclamar e fazer um discurso de que seu salário é pequeno e que merecia mais pelo tanto que trabalha, saiba que o questionamento que está sendo feito é sob a ótica da educação financeira. Não sobre merecimento ou desempenho profissional. A proposta é visualizar o problema de outro ponto de vista.

A tal educação financeira, aquela que a gente costuma ser apresentado na fase mais adulta, quando está empregado, mas que deveria fazer parte de nossas vidas desde criança, é quem nos ensina como melhor administrar nosso dinheiro. Como diria Arnaldo Cezar Coelho, a regra é clara: não gaste mais do que ganha. É uma questão matemática. Se você ganha R$ 1 mil e gasta R$ 1,1 mil, está claro que esta conta não vai fechar. É desequilíbrio financeiro na certa.

SAIBA MAIS: 8 motivos para investir ao invés de poupar

Das duas, uma: ou corta os gastos para que se encaixem no quanto ganha ou ganha mais. Até porque, o mantra de especialistas em finanças é que o que determina nossa saúde financeira são nossos gastos. Simplificando: não é nossa renda, mas sim nosso consumo que dirá se teremos ou não dificuldades financeiras.

Adequação é a palavra de ordem. Não tem outro jeito. É preciso ajustar o que gasta ao que recebe. Para isso, é necessário saber exatamente tudo o que gasta. Mas tudo mesmo. Desde o chiclete, os juros do pagamento em atraso de uma conta, crédito para o celular. Só assim você vai saber onde cortar para ajustar suas despesas aos seus ganhos. Não existe mágica.

O melhor é nem fazer as contas de cabeça. Tem que ir para a ponta do lápis para quem gosta de caderneta de anotações ou para a planilha, seja no computador ou aplicativos de celular. Não importa a ferramenta. Você só precisa mesmo tomar notas dos seus gastos. Só assim você vai entender para onde vai seu dinheiro.

Antes de você ir querendo enxugar as despesas, precisa conhecê-las. Assim fica mais fácil saber onde pode apertar o cinto. O orçamento é formado por dois tipos de despesas: as fixas e as variáveis. Entenda por despesa fixa aquela que você tem regularmente: alimentação, transporte, moradia, energia, internet, água, gás, saúde, educação.

VEJA TAMBÉM: Quais motivos levam você às compras? Saiba como proteger suas finanças

E as variáveis são as que você tem ocasionalmente: lazer, vestuário, viagens. Os mais apressadinhos correm logo para tesourar o lazer, as viagens. Calma lá mulheres. Conhecer suas despesas vai lhe dar a visão geral necessária para enxugar os gastos com equilíbrio. Pode-se e deve-se realmente reduzir as idas aos cinemas e até o vinhozinho de fim de semana.

Mas não dá para eliminar o lazer. Afinal, a vida não pode ser só pagar conta. Nas despesas fixas, por exemplo, a conta de energia pode e deve ser reduzida. Na alimentação, a compra de supérfluos fica suspensa temporariamente. Aposte nos produtos mais baratos, de marca própria, além de frutas e verduras da estação.

Veja se é o caso de migrar para um plano de saúde mais em conta. Reveja o plano de internet e o da TV por assinatura. Lembrem-se que para ajustar as contas sacrifícios precisam ser feitos. Por isso é uma missão conjunta da família. Todos precisam colaborar para dar certo. Porque, quando as contas voltarem ao equilíbrio, é possível rever alguns cortes, mas sempre observando qual o impacto que terá nas contas. Pequenas economias podem surtir grandes efeitos no orçamento. E as coisas só acontecem quando a gente começa a agir.

Planejar é a saída. Um conselho é encarar a missão com tranquilidade. Sabe que precisa ser feito, mas sem ficar obsessivo com os centavos ou pautar a vida com uma lista de “não pode isso, não pode aquilo”. Usar a criatividade é sempre uma boa alternativa. E ainda há sempre a opção de buscar dinheiro extra. Seja com uma habilidade que gere uma renda alternativa ou desapegando de algum bem. Dá uma olhada no guarda-roupas e veja quantas peças você pode vender num brechó, por exemplo.

E se depois de controlar as contas, sobrar algum dinheiro, resista e não gaste sem planejar. Invista seu dinheiro. É possível fazer uma reserva para algum imprevisto ou tocar algum projeto. Desde uma viagem, a troca de celular, um curso. Organizando, dá.

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: