BRF faz acordo para comprar Hercosul e avança em segmento de ração para pets

Empresa alimentícia passará a ser um dos maiores players de comida para cães e gatos, com participação de mercado de aproximadamente 4%
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

A companhia de alimentos BRF informou hoje (18) que a subsidiária BRF Pet fechou acordo para adquirir o grupo Hercosul, que atua em rações secas e úmidas para cães e gatos, o que coloca a empresa no caminho de ser um dos principais integrantes desse mercado.

O valor da operação está sujeito aos ajustes contemplados no contrato de compra e venda e será comunicado quando do fechamento do acordo, acrescentou a BRF, explicando que a transação foi aprovada Conselho de Administração e não depende da aprovação da assembleia geral, uma vez que a mesma será realizada por meio de sua subsidiária BRF Pet.

OLHA SÓ: Governo de SC acelera licenças ambientais para viabilizar aporte de R$ 442 mi da JBS

“Em linha com o plano ‘Visão 2030’, esse movimento fortalece a geração e diversificação de negócios da companhia… e representa, com o fechamento da operação, um passo efetivo para a BRF se tornar um dos maiores e mais relevantes players no mercado”, disse a companhia.

O Grupo Hercosul está há 20 anos no mercado de pet food, detendo um conjunto de empresas com sede no Brasil, dedicadas ao desenvolvimento, produção e distribuição de rações secas e úmidas para cães e gatos.

Segundo a BRF, o Hercosul tem uma “sólida trajetória de crescimento nesse mercado, lançando produtos inovadores e reconhecidos por sua qualidade, segurança e performance”.

Com o fechamento da operação, a BRF passará a ser um dos maiores players nesse tipo de ração, com participação de mercado de aproximadamente 4%, conforme estimativas baseadas nos dados fornecidos pela Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação).

O fechamento da operação está sujeito à aprovação das autoridades concorrenciais brasileiras e da verificação de outras condições precedentes usuais em operações dessa natureza.

(com Reuters)

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: