Assine nossa newsletter

15 Ações mais valorizadas do primeiro semestre 2021

Pandemia de Covid-19 ainda afeta o desempenho dos negócios apesar das perspectivas positivas para o ano
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
15 Ações mais valorizadas do primeiro semestre 2021
Ações mais valorizadas estão intimamente ligadas ao boom das commodities

O ano começou com a expectativa de controle da pandemia de Covid-19, com o início das campanhas de vacinação no mundo todo. Os diferentes ritmos da imunização de cada país é um dos principais fatores que explicam alguns fenômenos econômicos que afetam o Brasil, como o aumento da procura por commodities no mercado internacional, alta do dólar frente ao real e da inflação aqui e nos Estados Unidos. 

“A expectativa era de que tudo voltasse ao normal a partir do primeiro semestre. E voltou mesmo nos países com vacinação avançada, mas não aconteceu no Brasil”, afirma Dirlene Silva, CEO da DS Estratégias & Inteligência Financeira. Segundo a economista, com a retomada mais acelerada da economia nos outros países, as ações brasileiras tiveram altas pautadas nas exportações de commodities, como aço, minério de ferro, petróleo e alimentos para promover o reaquecimento da economia em outros países.  

OLHA SÓ: Morrisons concorda com proposta de aquisição de US$ 8,7 bilhões

 “O alto valor do dólar em relação ao real também tem tudo a ver com o aumento das exportações de commodities, porque fica mais vantajoso para os produtores venderem no exterior do que no Brasil”, explica a economista. Para Dirlene, esse contexto explica porque das 15 empresas que mais cresceram no semestre, ao menos 7 atuam no setor.

“Os demais países entraram na recuperação da pandemia e economia antes da nossa, que [em 2021] estamos vivendo um momento pior do que 2020. É claro que tem tudo a ver com o ritmo da aceleração da vacina. A nossa vai vir muito mais tarde”, explica Dirlene. “Temos uma situação política nesse meio, a lentidão da vacina é política e esse atraso deixa as coisas mais lentas para retomada econômica”.

Segundo a economista, a situação política do país, com a CPI da Covid-19 e os possíveis casos de corrupção nas compras de vacinas descobertos pelo inquérito, também é um ponto que está interferindo na retomada da economia brasileira . “Para a economia, o líder  é o representante de uma cultura de organização que vai inspirar a confiança dos investimentos. Dentro de um país, esse líder é o presidente e um país não consegue ser maior que seu principal líder nesse quesito”.

Da mesma forma, a expectativa para as próximas eleições também interfere no comportamento dos acionistas. Neste caso, a interferência é de forma positiva devido à possibilidade de que a crise política possa ser revertida. 

A alta da inflação no Brasil e a expectativa de queda dela nos Estados Unidos também animam o cenário econômico brasileiro. Os EUA já possuem mais da metade da população vacinada, assim já apresentam sinais de fim da crise sanitária e a normalização da economia. 

“Esta expansão na economia norte-americana vem acompanhada também de problemas, como escassez de algumas matérias-primas para a indústria e falta de mão de obra no mercado de trabalho, contexto que, ao lado de outros fatores, favorece o crescimento da inflação no país. Contudo, há entendimento de que esta alta da inflação nos Estados Unidos seja transitória”, afirma Dirlene.

E AINDA: Brasil vê boom em negócios de fusões e aquisições, puxados por energia, varejo e saúde

O país vem trabalhando no controle da inflação por meio da taxa de juros, que atualmente varia de 0% a 0,25%. “Os juros baixos lá fazem com que investidores invistam em países emergentes como o Brasil, pois terão ganhos maiores”.

Já no Brasil, a taxa Selic, nossa taxa básica de juros, vem aumentando cada vez mais na tentativa de controlar a inflação. O último aumento foi de 3,50% para 4,25% ao ano. Isso pode provocar uma alta nas demais taxas de juros no Brasil e a tendência é de que haja mais investimentos estrangeiros no país, segundo Dirlene. 

Para a economista, outro fator positivo para a retomada econômica brasileira é o crescimento do empreendedorismo no país. “Durante a pandemia, muitas pessoas empreenderam mais por necessidade do que por desejo, mas muitas dessas necessidades viraram um entendimento de futuro”. 

Em 2020, o empreendedorismo individual e por necessidade ganhou força. O número de empreendedores iniciais motivados por necessidade saltou de 37,5% para 50,4%. Já o empreendedorismo nascente, aquele que tem no máximo 3 meses em operação e inclui quem ainda não abriu, mas está fazendo algo para abrir um negócio, cresceu 25% e atingiu o maior patamar da série histórica, com uma taxa de 10,2%. Segundo pesquisa do Sebrae divulgada em junho deste ano, 60% dos jovens com até 30 anos querem ser empreendedores.

Segundo Dirlene, os dados ajudam a criar uma expectativa positiva para a economia brasileira, uma vez que permite a criação de novas formas de trabalho e crescimento econômico

“O mercado vive de expectativas. Atualmente, a gente vive de conquistas e derrotas, como no  mercado de trabalho em que temos desemprego em alta. Muitas profissões e funções deixaram de existir, mas, em compensação, muitas outras começaram a ser criadas.”

Veja a seguir as 15 ações mais valorizadas do primeiro semestre de 2021: 

1. BRKM5

Variação no ano: + 152,65%

A Braskem está entre as seis maiores empresas do setor químico e petroquímico do mundo. Com mais de 40 unidades industriais em quatro países, a empresa é capaz de produzir 9 milhões de toneladas de resinas termoplásticas, é uma das maiores produtoras do material nas Américas. Também produz mais de 10 milhões de toneladas de químicos básicos.  Além disso, é a maior fabricante mundial de biopolímeros, com capacidade anual de 200 mil toneladas de polietileno feito a partir de etanol de cana-de-açúcar.

LEIA AQUI: BRF vai investir R$ 670 milhões em sua operação no Mato Grosso

Criada em 2002 pela integração de seis companhias, atualmente é controlada pela Novonor, anteriormente denominada Odebrecht, com participação expressiva da Petrobras.  

2. BIDI11

Variação no ano: + 137,11 %

O Banco Inter é um banco de varejo que se destaca pela plataforma digital com isenção de tarifas. Atua com crédito, investimentos e câmbio em todos os municípios brasileiros com mais de 50 mil habitantes, totalizando mais de 4 mil cidades. Entre 2018 e 2019, o banco teve crescimento de clientes de 261%.


A instituição financeira está listada na B3 com ações preferenciais (BIDI4), ordinárias (BIDI3) e units (BIDI11), que representam um “pacote” que une benefícios dos dois tipos. As ações ordinárias da empresa dão direito ao voto nas assembleias de acionistas. Já as preferenciais dão preferencia ao acionista no recebimento dos lucros da empresa, proporcional à quantidade de ações que o investidor possui.

3. EMBR3 

Variação no ano: + 133,22%

A Embraer é a terceira maior fabricante de jatos comerciais de até 150 lugares do mundo, além de ser a maior exportadora de produtos manufaturados de alta tecnologia do hemisfério sul. 

Criada pelo Governo Federal, em 1969, como Empresa Brasileira de Aeronáutica, a companhia foi privatizada em 1994 e possui capital misto e controle estatal. O governo brasileiro é detentor de uma Golden Share, que lhe dá o direito de veto sobre determinadas decisões estratégicas na companhia

4. HGTX3 

Variação no ano: + 100,3%

A Companhia Hering é uma empresa do varejo no setor da moda e atua nos segmentos de gestão de marcas, produção e gestão de varejo. Atualmente, a empresa possui as marcas Hering, Hering Kids, PUC e Dzarm. Em média, 80% dos itens são produzidos pela companhia e os 20% restantes são comprados prontos. A empresa possui três polos industriais localizados nos Estados de Santa Catarina, Goiás e Rio Grande do Norte. A companhia possui um modelo de distribuição com alta capilaridade, com franquias, lojas próprias, multimarcas e lojas virtuais. 

5. CVCB3 

Variação no ano: + 40,09%

A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. é uma das maiores operadoras de turismo na América Latina. A companhia concentra suas atividades nos segmentos de viagens de lazer, corporativas e de intercâmbio. Fundada em 1972, na cidade de Santo André, região metropolitana de São Paulo, teve seu controle adquirido pelo grupo norte-americano Carlyle, um dos maiores fundos de private equity do mundo.

6. CSNA3 

Variação no ano: + 39,99%

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) é uma empresa que atua nos setores de siderurgia, mineração, logística, cimento e energia. Sua atividade vai desde a extração do minério de ferro até a produção e comercialização. Sua linha de produtos possui alto valor agregado, incluindo aços planos revestidos galvanizados e folhas metálicas. 

7. PRIO3 

Variação no ano: + 38,84%

A PetroRio S.A. é uma empresa especializada na gestão de reservatórios de petróleo e no redesenvolvimento de campos maduros, com foco no investimento e na recuperação de ativos em produção. A empresa desenvolve o Campo de Polvo e Campo de Frade, ambos no litoral do Rio de Janeiro. Também está presente no Campo de Manati, no litoral da Bahia, e na Bacia da Foz do Amazonas.

8. VALE3 

Variação no ano: + 37,79%

Maior produtora de ferro do mundo, a Vale é uma empresa brasileira que também atua nos setores de logística, energia e siderurgia. Produz níquel, carvão, cobre, manganês e ferroligas. Foi criada em 1942 como estatal com o objetivo de explorar o de ferro em Itabira (MG). Inicialmente, era chamada de Companhia Vale do Rio Doce e foi privatizada em 1997. Dez anos depois alterou o nome para Vale S.A. 

9. LWSA3 

Variação no ano: + 34,48%

A Locaweb é a primeira empresa de hospedagem de sites do Brasil, criada em 1998. Em 2003, a companhia deu início à sua atuação no mercado de SaaS (Software as a Service) ao lançar sua própria solução de e-mail. Em 2008, a Locaweb também se tornou pioneira no Brasil em oferecer armazenamento em nuvem para empresas. Também se estabeleceu no mercado como uma das principais formas de crescimento a aquisição de outras companhias de diferentes áreas, como soluções de pagamento, marketing digital, entre outras

10. MRFG3 

Variação no ano: + 33,36%

A Marfrig Global Foods S.A. é uma multinacional do setor de alimentos, especializada em carne bovina e é a segunda maior produtora de carne do mundo, com sede na cidade de São Paulo (SP). Atua nos segmentos de foodservice, varejo e processamento.Também produz industrializados, como carne enlatada, beef jerky, molhos e sachês. A produção é comercializada internamente e exportada para diferentes mercados.

FIQUE POR DENTRO: Ações da JSL e Tegma disparam após proposta de aquisição

Presente em 100 países, a companhia atua majoritariamente em duas regiões do mundo: na América do Norte e na América do Sul. Ela realiza o processamento e desossa de bovinos de corte nos Estados Unidos, Brasil, Uruguai e Argentina. 

11. USIM5 

Variação no ano: + 31,55%

A Usiminas é um grupo siderúrgico com atuação em diferentes segmentos da cadeia de valor do aço. Suas atividades envolvem mineração e logística, bens de capital, centros de serviços e distribuição e soluções customizadas para a indústria.

No setor de produção, a Usiminas possui duas plantas siderúrgicas, uma em Minas Gerais e outra em São Paulo. A Soluções Usiminas é uma empresa do grupo focada na distribuição e transformação de aço. A Unigal Usiminas é uma joint venture entre a Usiminas e a Nippon Steel para processar aço galvanizado por imersão a quente.

12. TOTS3 

Variação no ano: + 31,47%

Totvs (pronuncia-se tótus) é uma empresa brasileira de software com sede em São Paulo. Foi formada a partir da fusão das empresas Microsiga e Logocenter. Após a abertura de capital na Bovespa, em 2006, a companhia incorporou seus concorrentes. Em 2012, era considerada a maior empresa de software do Brasil, com escritórios também no México e Estados Unidos. 

13. BRDT3 

Variação no ano: + 29,04%

Petrobras Distribuidora (conhecida como BR Distribuidora) é a maior distribuidora de combustíveis e lubrificantes do Brasil em volume de vendas, e é uma ex-subsidiária da Petrobrás.

14. CSAN3 

Variação no ano: + 28,05%

O grupo Cosan possui negócios nos setores de agronegócio, distribuição de combustíveis, gás natural, lubrificantes e logística. Com origem no setor sucroenergético, atualmente possui um portfólio diversificado de negócios, sendo detentora de empresas como  Raízen, Comgás, Moove e Rumo e marcas como a  Shell.

SAIBA MAIS: Indústria do Brasil volta a crescer em maio após três quedas seguidas

É a maior fabricante de etanol e exportadora de cana-de-açúcar do mundo. Também é a maior operadora de ferrovia da América Latina e mantém a liderança na distribuição de gás natural e de combustíveis e lubrificantes no Brasil.

15. ELET3 

Variação no ano: + 26,05 %

A Eletrobras, Centrais Elétricas Brasileiras S.A., é a maior companhia brasileira do setor elétrico. Tem capacidade geradora de cerca de 1/3 do total da capacidade instalada de produção de energia elétrica no Brasil. A  companhia é uma holding controlada pelo Governo Federal e tem três tipos de ações negociadas no Brasil, EUA e Espanha. 

Cerca de 89% da malha de linhas de transmissão de energia do Brasil são linhas corporativas do sistema Eletrobras. Mais de 90% da capacidade instalada da companhia é oriunda de fontes com baixa emissão de gases de efeito estufa. Em relação à distribuição, em 2018, a Eletrobras realizou, com êxito, o leilão de venda de todas as suas distribuidoras.

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem:

Assine nossa newsletter