Conta de luz mais cara? Especialistas dão dicas de como preparar o bolso e economizar energia

Com os reajustes feitos pela Aneel, alguns cuidados podem fazer muita diferença no orçamento da família
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Os maiores vilões da conta de energia elétrica são aparelhos geradores de calor. (Foto: EnvatoElements)

Recebeu sua conta de luz e tomou um susto com o valor? Saiba que esse aumento não foi uma exclusividade sua. Em setembro, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a criação de uma nova bandeira tarifária, acima da vermelha 2, que já era a mais cara. Na prática, a nova tarifa passou de R$ 9,49 para R$ 14,20, a cada 100 kWh.

Mas por que a agência precisou fazer esse reajuste? A educadora financeira Silvia Machado explica que a conta ficou mais cara porque o Brasil passa pela maior crise hídrica dos últimos 90 anos. “O aumento das tarifas já estava nos planos. E, para piorar, estamos com uma taxa a mais, que é a da crise hídrica. É torcer para chover, porque a Aneel já está prevendo apagões, mesmo com toda essa alta”, esclarece.

LEIA MAIS: IPCA sobe com força em setembro e supera 10%

Fernanda De Rousset, sócia da B.Side Investimentos, destaca que, como o Brasil é muito dependente das usinas hidrelétricas para gerar energia, a falta de chuvas acarretou em um nível baixíssimo nos reservatórios. “Assim, outras fontes de energia, como usinas termelétricas, a gás e a carvão mineral, tiveram que ser acionadas pelo governo com um custo muito maior”, diz, explicando que, segundo o IPCA, indicador oficial de inflação do país divulgado pelo IBGE, a conta de luz residencial aumentou 21,08% nos 12 meses encerrados em agosto. 

Silvia Machado alerta, ainda, que os maiores vilões da conta de energia elétrica são aparelhos geradores de calor, como, por exemplo, ferro de passar roupa, chuveiro elétrico, máquinas de lavar e secar roupas e aquecedores. Já na linha dos não geradores de calor, os maiores vilões são ar-condicionado e geladeira. 

Como organizar o orçamento?

Fernanda diz, no entanto, que há maneiras de economizar para bancar esses extras. “Todo brasileiro deveria ter uma reserva de emergência, ou seja, uma quantia poupada que cubra de seis a 12 vezes os seus gastos mensais. Esse momento que estamos vivendo agora seria um exemplo no qual faria sentido utilizar essa reserva para conseguir arcar com os aumentos na conta de luz. No entanto, para quem está com as contas apertadas, é necessário organizar o orçamento e ver onde é possível fazer algum ajuste. Como a conta de luz é um item essencial, a pessoa tem que encontrar algum outro gasto que ela consiga cortar para economizar, geralmente relacionado ao lazer ou itens não essenciais. As pessoas costumam se assustar quando começam a anotar seus gastos em um caderno ou em uma planilha de Excel. É chocante, mas a maioria não sabe nem dizer qual seu custo mensal, por isso não consegue identificar onde cortar. Nesses momentos, a organização orçamentária é essencial.”

Caso não tenha dinheiro para pagar a conta de luz, a especialista em investimentos recomenda fugir de empréstimos no banco. “Sempre tente negociar com a concessionária, já que, provavelmente, ela oferecerá melhores condições. Os juros cobrados pelos bancos costumam ser os maiores do mercado, seja de cheque especial ou cartão de crédito. A conta de luz é uma das primeiras obrigações a se pagar em detrimento de outras, já que você precisa do serviço básico para atividades diárias”, diz.

10 dicas para economizar energia

Alessandra Dutra Coelho, engenheira elétrica do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), dá dez dicas e cuidados que os brasileiros devem ter para reduzir o valor da conta de luz. Veja, a seguir, quais são elas:

  1. Reduzir o tempo do banho e fechar o chuveiro ao se ensaboar;
  2. Deixar aparelhos eletrônicos que não estão sendo utilizados fora da tomada;
  3. Utilizar o ar condicionado só quando for realmente necessário e preferir aparelhos com selo Procel ou a etiqueta A do Inmetro. Também é importante fazer a limpeza do filtro regularmente;
  4. Sempre que possível, planejar o horário de banho da família, assim aproveita-se a água quente dos aquecedores;
  5. Não deixar a TV ligada se não estiver assistindo;
  6. Utilizar o ferro de passar de forma consciente, ou seja, juntando um número maior de roupas para passar de uma só vez;
  7. Limpar periodicamente os filtros da lavadora de roupas e da secadora para aumentar a eficiência do eletrodoméstico;
  8. Ensinar às crianças a importância de não abrir a geladeira a todo momento e a escolher o que vai pegar antes de abri-la. Deve-se manter a borracha de vedação em bom estado para que o eletrodoméstico fique bem vedado;
  9. Trocar as lâmpadas antigas por versões mais modernas, como as de LED, que são mais econômicas;
  10. Durante o dia, deixar cortinas e janelas abertas para que a luz solar possa reduzir o uso da iluminação interna.

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Participe da live Meu Primeiro Investimento

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: