Conheça Eufrasia, a brasileira que fez história no mundo graças ao pioneirismo nos investimentos

Carioca foi responsável por gerir um patrimônio com ativos nos cinco continentes
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
(Foto: Ilustração/Mafê De Biaggi)

Em abril de 1850, nascia em Vassouras, no Rio de Janeiro, Eufrasia Teixeira Leite, a primeira investidora do Brasil e a primeira mulher no mundo a fazer gestão de um patrimônio com investimentos distribuídos em cinco continentes. 

Filha de uma família rica, Eufrasia se viu órfã aos 23 anos e, ao lado da irmã, passou a administrar a fortuna da família, multiplicando o patrimônio recebido com um portfólio diversificado de investimentos. Mas para entender o pioneirismo de Eufrasia é preciso avaliar também o contexto e desafios vividos pelas mulheres de sua época. 

Eufrasia cresceu durante o Brasil Império, período que tem início logo após a proclamação da independência do Brasil. Estamos falando de uma época que para as mulheres cabia o servir: aos esposos, aos filhos, à família e à religião.

Mulheres também não tinham direito a voto, tampouco autonomia financeira. Vale lembrar que, até 1962, as mulheres no Brasil só podiam abrir conta em bancos, trabalhar fora de casa ou aceitar o recebimento de heranças com a autorização do esposo, conforme previsão do Código Civil de 1916.

LEIA MAIS

É neste contexto que Eufrasia cresce e é educada. Com a morte dos pais, ela e a irmã decidem recomeçar a vida em Paris. Jovens, com dinheiro e solteiras, as irmãs se viram emancipadas financeiramente e aptas a viver uma vida até então nada comum para as mulheres.

Das Américas para a Europa

Para sair do país, as jovens venderam alguns imóveis, ações e títulos de dívidas que haviam herdado. A fortuna deixada pelos pais era próxima de 768 contos de réis. Em termos comparativos, esse valor correspondia à metade do orçamento pessoal disponível para o uso do imperador D. Pedro II por um ano.

Em Paris, Eufrasia se envolveu com o mundo dos negócios e passou também a investir em outras mulheres e suas carreiras. Ela participa ativamente de estudos e discussões sobre a urbanização da capital francesa e apoia o desenvolvimento de novas tecnologias, como próteses para os muitos deficientes físicos da Primeira Guerra Mundial.

Mas ao investir no desenvolvimento de novas tecnologias, Eufrasia foi também uma das primeiras investidoras-anjo do mundo. A partir dos seus 50 anos, ela passa a destinar os seus recursos para a criação de soluções baseadas em tecnologia para os problemas das pessoas da época, como empresas de vestuário sem origem animal, de energia e muitos outros setores.

Por 14 anos, Eufrasia também investiu no amor. Ela manteve um relacionamento com o abolicionista Joaquim Nabuco, mas o romance acabou diante do impasse sobre em qual país o casal deveria morar. Nabuco tinha aspirações políticas no Brasil, mas para Eufrasia o retorno significava abrir mão de muitas conquistas.

Clique aqui para continuar lendo. Este conteúdo faz parte da edição número 1 da revista EUFRASIA, uma publicação da Elas Que Lucrem.

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: