Fusões e aquisições têm aumento de quase 50% no primeiro trimestre do ano

De janeiro a março de 2022, foram 553 negociações contra 375 em 2021
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

No primeiro trimestre de 2022, as fusões e aquisições negociadas no Brasil tiveram um aumento de quase 50% em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a março, foram 553 contra 375 negociadas em 2021 – que somou, ao longo dos 365 dias, 1.963 operações. Os dados são de pesquisa realizada, trimestralmente, pela KPMG, com 43 setores da economia brasileira.

Com relação ao tipo de transação, o estudo aponta que a maioria envolveu empresas domésticas – 384, o equivalente a 69% do total e um crescimento de 57%.

Outros formatos incluíram operações do tipo CB1 – quando uma empresa estrangeira adquire capital de uma companhia no Brasil -, com 147 transações e crescimento de 27%; CB4, quando uma empresa estrangeira adquire de outra estrangeira uma empresa estabelecida no Brasil, com 15 operações; e CB2, quando uma companhia brasileira adquire de uma estrangeira o capital de uma empresa estabelecida no exterior, com sete negociações.

Se levarmos em consideração os setores, as empresas de internet continuam liderando as transações, com 242 no total. Em seguida estão companhias de tecnologia da informação (83) e prestadoras de serviços (35). Outros destaques vão para instituições financeiras (26), telecomunicação e mídia (20), educação (19), hospitais e clínicas (16), seguros (13) e transporte (12).

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: