Pequeno investidor perde a esperança após preços de criptomoedas desabarem

Mercado despencou na última semana em meio a preocupações com o aumento da inflação e a alta das taxas de juros
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

O mercado de criptomoedas, conhecido por suas oscilações de preços, despencou na semana passada, quando investidores retiraram dinheiro de ativos mais arriscados em meio a preocupações com o aumento da inflação e a alta das taxas de juros.

O bitcoin, a maior criptomoeda do mundo, caiu para US$ 25.401 na quinta-feira, menor valor desde dezembro de 2020 e bem abaixo do recorde de US$ 69 mil atingido em novembro.

Os tokens menores também foram atingidos, com o ether, o segundo maior token, caindo mais de 15% para o menor nível desde junho. O luna – uma moeda digital amplamente divulgada nas mídias sociais e apoiada por investidores institucionais de criptomoedas – perdeu quase todo o seu valor.

Após a turbulência da semana passada, os fóruns on-line foram inundados com histórias de aflição, com investidores de varejo expressando angústia sobre suas perdas.

LEIA MAIS

Movimento emblemático do risco das criptomoedas foi o colapso na semana passada da TerraUSD, uma stablecoin projetada para manter um valor constante por meio de um algoritmo complexo que envolve o token digital luna.

Quando as moedas sofreram forte pressão de venda, o sistema quebrou. A TerraUSD –projetada para manter o valor de US$ 1 – foi negociada em torno de 9 centavos na terça-feira, enquanto o luna caiu para quase zero, com base nos dados do CoinGecko.

A queda do luna eliminou a maior parte de seu valor de mercado, que estava acima de US$ 40 bilhões no início de abril, mostram dados da CoinGecko.

Ao longo de seus 13 anos de vida, o setor de criptomoedas foi marcado por subidas vertiginosas e quedas livres repentinas. Em novembro, por exemplo, o bitcoin caiu um quinto em pouco menos de duas semanas depois de atingir um recorde de US$ 69 mil. Seis meses antes, havia caído quase 40% em apenas nove dias.

No entanto, o crash mais recente da criptomoeda – que levou o valor combinado do setor para US$ 1,2 trilhão, menos da metade de onde estava em novembro passado – levou ao esmagamento do luna, que em 1º de maio era a oitava maior criptomoeda por capitalização de mercado.

As criptomoedas estão sujeitas a regulamentações irregulares em todo o mundo, com comerciantes de bitcoin e de uma variedade de tokens menores normalmente desprotegidos contra quedas de preços.

Mas é difícil avaliar a escala da dor dos investidores de varejo com a queda das criptomoedas e as repercussões no apetite futuro, dada a natureza pouco transparente do mercado.

O bitcoin estava pairando em torno de US$ 30 mil na terça-feira, tendo perdido mais de 20% até agora este mês.

Os reguladores permanecem em alerta. O governo britânico disse no mês passado que regulará as stablecoins. A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos está endurecendo sua posição. Gary Gensler, presidente da SEC, disse esta semana que os investidores em criptomoedas precisam de mais proteção.

(Com Reuters)

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: