Aluguel residencial tem alta de 2,2% em maio na capital paulista

O índice é menor do que a inflação medida pelo IGPM
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

O valor dos novos contratos de aluguel residencial na cidade de São Paulo tive alta de 2,21% entre junho de 2021 e maio deste ano, segundo pesquisa do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

O índice é menor do que a inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGPM) da Fundação Getulio Vargas, que ficou em 10,72% para o período. O índice é usado como referência para o reajuste anual da maior parte dos contratos.

Nos primeiros cinco meses do ano, os valores dos contratos tiveram elevação de 1,4% em comparação com o mesmo período de 2021. Em maio, os alugueis registraram alta de 0,4% em relação ao mês anterior, sendo que os imóveis de um quarto tiveram o maior aumento, de 0,5%.

O fiador foi a forma de garantia mais usada pelos inquilinos, presente em 45,5% dos contratos de maio. O depósito de três meses de aluguel foi utilizada por 39,5% e o seguro-fiança por 15%.

(Com Agência Brasil)

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: