Greta Thunberg diz que líderes mundiais ainda são negacionistas sobre clima

A ativista ganhou fama em 2018, quando seu protesto solitário em Estocolmo pela falta de ação para deter as mudanças climáticas se tornou um movimento global
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

Os políticos, incluindo os líderes suecos, ainda negam a ameaça das mudanças climáticas, disse a ativista ambiental Greta Thunberg ontem (3), depois de se encontrar com o primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven.

“Nós, ativistas do clima, já tivemos não sei quantas reuniões com as pessoas no poder e, basicamente, é sempre a mesma discussão – há uma negação completa”, disse Thunberg aos repórteres após a reunião.

“A sensação de crise é absolutamente zero.”

Thunberg, que ganhou fama em 2018, quando seu protesto solitário em Estocolmo pela falta de ação para deter as mudanças climáticas se tornou um movimento global, também criticou a mídia por minimizar a gravidade da crise.

LEIA AQUI: Elas Que Trabalham: Conheça Soraia Schutel, a mulher que deixou o cargo de CEO para se tornar professora

“Se ninguém pressionar os que estão no poder, obviamente eles não vão fazer nada”, declarou.

Os governos globais parecem ter desistido da meta de limitar o aquecimento global a um aumento de 1,5 grau em comparação com os níveis pré-industriais, disse ela.

O governo da Suécia assumiu um papel de liderança na luta contra as mudanças climáticas, mas Thunberg e seus colegas ativistas disseram que o governo não está fazendo o suficiente.

“Aqueles que não levam a crise climática a sério e não a tratam como uma crise, infelizmente, são uma parte do problema”, disse ela.

Mas há razões para ter esperança.

“Pense se essas pessoas fizessem alguma coisa, pense se elas pudessem assumir a responsabilidade, elas poderiam ser uma parte tão grande da solução, e nós dissemos isso a ele (Lofven)”, afirmou Greta Thunberg.

Em um comentário no Instagram sobre a reunião, Lofven disse que a Suécia foi uma força motriz no esforço da União Europeia em relação às mudanças climáticas, e que sua indústria estava em transição para um futuro livre de combustíveis fósseis e ajudando outros países a reduzir as emissões.

E AINDA: Guedes diz que auxílio emergencial terá de ser substituído por programa sustentável reforçado

“A Suécia tem a oportunidade de ser o primeiro Estado livre de combustíveis fósseis do mundo, mas precisamos aumentar o ritmo das mudanças”, declarou Lofven. “Precisamos de novos passos.”

(com Reuters)

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: