Principais notícias do mercado para segunda-feira

Expectativa para o aumento da taxa Selic, queda da bolsa e tudo que vai mexer com o mercado nesta segunda
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

As bolsas americanas fecharam em alta na sexta-feira (11), com destaque para o S&P500, que bateu recorde de fechamento aos 4.247 pontos, e para empresas como Apple, Microsoft e Netflix. Esse clima otimista surgiu após a reação do mercado de que o governo norte-americano não irá alterar sua política econômica após os dados de inflação.

O dólar fechou em alta no Brasil após duas semanas de queda. Isso é um reflexo dos dados de inflação nos Estados Unidos e um receio dos investidores, que aplicam no Brasil, tirarem seus recursos para investir nos Estados Unidos com expectativa de uma alta na taxa de juros.

OLHA SÓ: Principais notícias do mercado para sexta-feira

Na sexta-feira (11), ainda foram divulgados os dados de vendas no setor de serviços referentes a abril, que apresentou um aumento de 0,7% em comparação a março. Os dois destaques do setor foram os serviços de informação e comunicação (2,5%) e serviços prestado às famílias (9,3%), liderados pelos restaurantes. Esses dados mostram um sinal de que a economia está se recuperando do período de pandemia e traz um clima otimista para a situação econômica do país.

O mercado passou o dia em cautela, no aguardo das decisões da chamada super quarta-feira, quando serão divulgadas as decisões do Federal Reserve, Banco Central dos Estados Unidos, e do COPOM, com dados sobre a taxa Selic, nesta próxima quarta-feira. Assim, na sexta, bolsa fechou em queda de 0,49%, aos 129.441 pontos.

Para esta semana, o foco dos investidores será a quarta-feira, com a decisão do COPOM sobre a taxa Selic, que será divulgada às 18h30. Já ocorre um consenso de que eles aumentarão ainda mais o valor da taxa base, que influencia as demais taxas brasileiras, como as de empréstimos bancários e investimentos de renda fixa. A expectativa é que ocorra o aumento da Selic seja de 0,75%.

Carol Proença é estudante de Economia e especialista de investimentos certificada

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: