Farofa da Gkay: entenda o que está por trás do sucesso estrondoso do evento

Humorista e influencer Gessica Kayane já recebeu proposta milionária para transformar comemoração em um festival aberto ao público
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Gkay
Festa alcançou audiência de cerca de 66 milhões de pessoas, segundo cálculos realizados pelo estrategista de branding Galileu Nogueira (Foto: Reprodução/ Instagram)

A festa de aniversário da influenciadora paraibana Gessica Kayane, mais conhecida como Gkay, tornou-se um dos assuntos mais buscados e comentados nas redes sociais não só durante os três dias de duração, mas também nas semanas seguintes. A chamada “Farofa da Gkay” foi criada em 2017 e é realizada todos os anos em dezembro, numa super comemoração que reúne os amigos da aniversariante. 

A cada edição, o evento ganha mais convidados, visibilidade, relevância e repercussão. Este ano, quando a anfitriã comemorou seu 29º aniversário, a movimentação foi tanta que a celebração invadiu redes sociais, portais de notícias, podcasts e canais no YouTube. Entre 4 e 8 de dezembro – um dia antes do início e um depois do fim da festa -, o interesse por buscas no Google pelo termo “Farofa da Gkay” passou de quatro para 100 pontos.

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

A explosão de buscas tem razão, já que a festa contou com a presença de mais de 200 pessoas, a maior parte influenciadores e celebridades, como Alok e Bianca Andrade, a “Boca Rosa”. Apenas pelo elenco, a atenção dada ao evento já seria justificável, mas outros fatores fizeram com que ele se transformasse quase em uma “obsessão” dos internautas. 

Alguns dos motivos são a duração e os acontecimentos da festa, realizada entre 5 e 7 de dezembro, no Marina Park Hotel, em Fortaleza, no Ceará. Na programação, shows e uma série de “mini festas”. Além disso, os convidados tinham acesso ao sistema “all inclusive” do resort, tudo pago por Gkay, que declarou ter desembolsado R$ 2,8 milhões com a comemoração. Em troca, os participantes ofereceram todo o entretenimento gerado pelas fofocas e polêmicas nascidas na ocasião e publicadas nas redes sociais para alimentar a sede dos seguidores por atualizações. 

Gkay ganhou cerca de 680 mil seguidores na semana do evento, segundo dados do Social Blade. Apesar disso, outro termo que ficou em alta nas pesquisas do Google foi o próprio nome da influenciadora. Com a popularidade, em pouco tempo surgiu uma série de artigos para contar a história da criadora de conteúdo – que já era bastante conhecida na internet.

Gessica Kayane é uma das influenciadoras mais populares atualmente, mas iniciou a carreira como humorista no Nordeste. Nascida em Solânea, no interior da Paraíba, começou a trabalhar com a internet em 2013, aos 22 anos. Já em 2017, lançou sua primeira turnê de stand up e ganhou mais notoriedade no meio. Assim, conseguiu realizar participações em shows de outros humoristas, como Whindersson Nunes, e se envolveu com outros artistas já conhecidos. Atualmente, seu perfil no Instagram soma 17,5 milhões de seguidores. 

Farofa da Gkay 

Em conjunto com o produtor Felipe Miranda, Gkay idealizou não só um evento, mas uma tendência entre os influenciadores. Para Debora Vicentino, estrategista de marketing de influência na Squid, festas do tipo podem ser adotadas não somente por criadores de conteúdo digital, mas também pelas celebridades. “Esse tipo de evento tem um potencial enorme, uma vez que gera interesse na massa. Todos gostariam de estar lá para assistir, em tempo real, os acontecimentos e participar dessa conversa calorosa”, explica. 

A Farofa da Gkay foi, nas últimas semanas, apontada como uma grande vitrine para marcas e até mesmo para os próprios participantes. Isso porque, com a “cobertura” realizada em tempo real e de ângulos diferentes por veículos de mídia, perfis de fofocas na internet, influenciadores e internautas, foi quase impossível não ter acesso a pelo menos um vídeo, publicação ou foto da festa. 

Essa é a principal característica dos eventos do tipo “broadcast”, aqueles que são transmitidos por algum veículo de comunicação. Debora acredita que a reverberação da Farofa na web tenha sido o grande “pulo do gato” capaz de explicar a penetração do acontecimento na mídia. Ela também cita outro fator para o sucesso. “Os conteúdos dos influenciadores que estavam na festa e os perfis de memes que foram ágeis em diversos momentos para gerar gatilhos divertidos a partir do evento foram muito relevantes nesse sentido.”

OLHA SÓ: Bianca Andrade: cinco dicas de marketing digital para empreender na internet

No podcast “Pod Delas”, apresentado pelas influenciadoras digitais Tata Estaniecki e Bruna Unzueta, Gkay contou que recebeu uma proposta milionária para transformar a festa em um festival aberto ao público. Ela declarou que está estudando a possibilidade, mas não deseja perder a “essência da Farofa”, que era um sonho antigo. “É um projeto, é conseguir reunir pessoas, artistas, fãs, amigos de infância, fãs-clubes, minha mãe, meu irmão, cantores, tiktokers, tudo junto num lugar só.”

Não é à toa que a criação da humorista tenha sido alvo do interesse de investidores. Segundo o fundador da consultoria de branding Influxo & CO, Galileu Nogueira, a audiência recebida pela Farofa, apenas com base nos seguidores dos 38 convidados mais seguidos nas redes sociais, representa cerca de 66 milhões de pessoas. 

Esses números, além de serem maiores do que os alcançados em posts de publicidade nos perfis dos influenciadores, por exemplo, ainda são mais valiosos porque não envolveram a cobrança do cachê para que essas divulgações fossem realizadas. A especialista em marketing de influência esclarece que o evento promove a exposição de marca para um público qualificado, dividido entre celebridades e influenciadores, e a exposição da marca na mídia, que pode ser realizada por meio de mídia paga ou orgânica. 

Por tudo isso, Gkay passou de humorista a influenciadora, e criou um evento que pode virar um grande negócio. Isso pôde ser observado nesta última edição, que, mesmo sem ser aberta ao público, chama a atenção e povoa as conversas da audiência. 

O engajamento dos seguidores é fundamental para atrair as marcas, que desejam justamente os olhares de potenciais consumidores. Mas, caso se torne um festival, como foi proposto, a festa pode perder esse aspecto tão importante? Debora explica que isso depende da estratégia utilizada no novo formato. “Para que a ação traga bons resultados, o objetivo tem que ter como foco gerar uma boa experiência para os convidados, com uma experimentação de produto ou serviço que gere valor agregado e interesse para quem está desfrutando da ativação de marca”.

Além das ações e divulgações, o evento pode gerar produtos de si mesmo. Ainda durante sua participação no “Pod Delas”, Gkay anunciou que a Farofa ganhará um documentário, mas não deu mais detalhes. A especialista de marketing destaca que outros materiais ainda podem surgir da festa, como pílulas de conteúdos para redes sociais e uma série online, por exemplo. 

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: