BR Malls vende mais, porém lucra menos no quarto trimestre

Forte crescimento das despesas e efeito contábeis pressionaram a última linha do resultado
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

A BR Malls revelou ontem (17) que teve crescimento nas vendas no quarto trimestre favorecidas pelo gradual relaxamento das medidas de isolamento social, mas o forte crescimento das despesas, além de efeito contábeis pressionaram a última linha do resultado.

A operadora de shoppings, cujo conselho de administração rejeitou a nova oferta de combinação de negócios enviada pela rival Aliansce, reportou lucro de outubro a dezembro de R$ 48,2 milhões, queda de 22,5% em relação a mesma etapa de 2020. Por outro lado, a previsão média de analistas consultados pela Refinitiv era de R$ 125,7 milhões.

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Já o resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado no trimestre foi de R$ 188,9 milhões, aumento de 22,1%. Analistas, na média, previam Ebitda de R$ 249,9 milhões, segundo a Refinitiv. A margem Ebitda caiu de 58% para 50,6%.

Ainda mais, a receita líquida da companhia totalizou R$ 373,3 milhões, aumento de 39,9% sobre um ano antes. Mas, as despesas totais subiram 42,9% ano a ano, para R$ 85,5 milhões.

Além disso, a linha ajuste de outros resultados operacionais teve uma piora de 111%, para um número negativo de R$ 208,9 milhões. No trimestre, a BR Malls computou despesas ligadas ao encerramento da operação Delivery Center.

Por fim, o resultado financeiro também teve uma deterioração de 42,7%, para um déficit de R$ 82,8 milhões.

(Com Reuters)

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Compartilhar a matéria:

×