Que rainha da sofrência que nada: 8 letras que provam que Marília Mendonça era empoderada e independente

Sertaneja morreu nesta sexta-feira após acidente aéreo em Piedade de Caratinga, Minas Gerais
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Divulgação
Mais do que uma artista, Marília levou o empoderamento feminino para o mundo sertanejo (Foto: Divulgação)

A cantora e compositora Marília Mendonça, 26 anos, morreu hoje (5) em um acidente aéreo em Piedade de Caratinga, Minas Gerais. Conhecida como a rainha da sofrência, a artista agradava os fãs e era elogiada pela classe artística por sua voz e letras impactantes, que falam sobre relacionamentos com altas doses de realidade.

Mais do que uma artista, Marília levou o empoderamento feminino para o mundo sertanejo, um ambiente tradicionalmente masculino. Além das letras, que incentivam a independência das mulheres e a igualdade de direitos, a cantora fez questão de se envolver em projetos contra a violência doméstica durante o lançamento do álbum “Patroas”, com a dupla Maiara e Maraísa. 

LEIA TAMBÉM: Marília Mendonça morre em acidente aéreo

Com mais de uma década de carreira, a musa da dor de cotovelo nos ensinou que desilusões amorosas são inevitáveis, mas não podemos deixar que elas nos diminuam ou impeçam de seguir adiante.

Veja 8 trechos de músicas em que Marília Mendonça provava ser uma sertaneja empoderada e independente:

“Infiel”

“Hoje não tem hora de ir embora/ Hoje ele vai ficar/ No momento deve estar feliz e achando que ganhou/ Não perdi nada, acabei de me livrar” 

“A Festa das Patroas

“Você tem que aceitar que elas vieram pra ficar e vão te arrastar, seu copo ela vai virar/ E elas não são bobas, tão nas festa das Patroas E Revoltou! / Não quer mais cozinhar, ela só quer fazer amor / Você falou que ela não é pra casar, mas dela não se livrou”

“Folgado”

“Eu nunca tive lei/ E nem horário pra sair nem pra voltar/ Se lembra que eu mandei você acostumar/ Tô te mandando embora, melhor sair agora/ Não vem me controlar/ Folgado/ Maldita hora que eu chamei você de namorado/ Imagina se a gente tivesse casado/ Deus me livre da latada que eu ia entrar/ Dá um arrepio”

“Supera”

“Não tô acreditando, vai fazer papel de trouxa outra vez. Cê não aprende mesmo, hein! / Para de insistir, chega de se iludir/ Se ele não te quer, supera!/ Ele tá fazendo de tapete o seu coração, promete pra mim que dessa vez você vai falar não/ De mulher pra mulher, supera!”

“Direitos Iguais”

“Tô em busca de paz e direitos iguais/ E continuo viva/ E a vida tá normal/ Então/ Sai da minha frente, eu quero ser independente/ Nem vem com essa conversa que o nosso amor é quente!”

“Por Mais 3 Horas”

“Não sei o que você tava pensando, me controlando, sufocando/ Saiba, eu não nasci pra isso, apesar de você ser um vício/ Agora vai quebrar a cara/ Eu sei nós dois não dá em nada/ Não dá sede, depois de um gole passa”

“Você Não Manda em Mim”

“Tire suas mãos de mim/ Quando eu te conheci você não era assim/ Não te devo explicação de nada/ Não tenho medo da sua ameaça/ É que pra você é só ciúme/ Mas isso é doença e você não assume/ Seu amor é mal acostumado a gritar e proibir”

“Troca de Calçada”

“Se alguém passar por ela/ Fique em silêncio, não aponte o dedo/ Não julgue tão cedo/ Ela tem motivos pra estar desse jeito/ Isso é preconceito”

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Participe da live Meu Primeiro Investimento

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: