7 dicas para evitar a procrastinação

Adiar as tarefas tem mais a ver com a gestão emocional do que com o planejamento do tempo, diz especialista
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
Procrastinação
Procrastinação crônica pode provocar estresse, ansiedade e baixa autoestima, afirmam especialistas (Foto: Andrea Piacquadio/ Pexels)

As atividades diárias, como trabalho, faculdade e tarefas domésticas, podem se tornar uma via direta para o acúmulo de deveres quando a procrastinação prevalece. No entanto, o que muitas vezes é visto como preguiça ou falta de empenho, pode ser um problema emocional que leva à falta de organização e, por consequência, estimula o surgimento de sentimentos como a angústia e a insatisfação.  

Ao notar que estão procrastinando demais, as pessoas normalmente saem em busca de técnicas de produtividade e organização, mas nem sempre elas são suficientes para solucionar o problema. Caroline Marcon, consultora organizacional e coach executiva, afirma que essas práticas têm “efeito limitado” porque a procrastinação está mais relacionada à gestão das emoções do que ao tempo. 

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

A especialista explica que umas das principais causas do hábito de adiar as obrigações é a insegurança. “As atividades que colocamos de lado geram alguma emoção negativa: podem ser chatas, difíceis ou despertam em nós o terrível medo do fracasso”, diz.

Apesar de parecer inofensiva, a procrastinação vai além dos danos já conhecidos, como o atraso nos prazos e na realização de projetos pessoais. “Ao atrasar as atividades e não conseguir atender todas as demandas e compromissos, o indivíduo começa a se sentir mal, angustiado, sem energia e sobrecarregado. Esses sentimentos, por sua vez, podem provocar estresse e ansiedade, ocasionando quadros de depressão e outras doenças”, esclarece Renata Tavolaro, psicóloga e head de psicologia da OrienteMe. 

OLHA SÓ: 5 maneiras de desenvolver a inteligência emocional

A especialista destaca, ainda, que o ato de procrastinar pode ter ligação com questões fisiológicas. “Outra causa da procrastinação está relacionada ao cérebro, mais precisamente ao córtex pré-frontal. Se há algo incomum com essa área, como uma lesão, por exemplo, a pessoa pode sofrer mais com as distrações externas. Isso ocorre porque o córtex pré-frontal é responsável, entre outras coisas, pelo controle dos impulsos e determinação do foco. Neste caso, recomendamos uma avaliação neurológica”, explica

Em estágios avançados, a procrastinação pode ser vista como crônica. Caroline esclarece que, nessa condição, o indivíduo adia o sofrimento que terá ao realizar as tarefas, mas não o substitui por um prazer imediato, como normalmente acontece quando há a postergação de uma atividade desagradável. Dessa forma, ele não alcança as metas e nem obtém uma satisfação momentânea, como uma espécie de “tortura” contra si mesmo. 

Veja, a seguir, 7 dicas das especialistas para evitar procrastinar:

1. Delegar “tarefas chatas”

Marcar consultas médicas, procurar documentos e resolver outras pendências burocráticas são deveres entediantes e cansativos para a maioria das pessoas. Por isso, Caroline Marcon indica que, caso seja possível, delegue essas tarefas para outras pessoas que possam cumpri-las, como familiares e colegas de trabalho. Dessa forma, a energia não é aplicada totalmente nesses afazeres cotidianos e sobra mais tempo e empenho para questões mais complexas. 

2. Exercitar o autoconhecimento 

Para Renata Tavolaro, questionar a si mesmo é necessário para entender quais são os obstáculos que impedem a realização das tarefas. “É primordial que a pessoa reflita sobre os motivos por trás do adiamento e encare os sentimentos de frente.”

Caroline destaca, ainda, que é necessário identificar os problemas que levam à procrastinação para educar a mente e atingir os objetivos. “Preste atenção nas próprias emoções e, quando sentir vontade de procrastinar, pergunte-se qual é a coisa mais simples que é preciso fazer para atingir o objetivo almejado começando agora”, ensina. Segundo a consultora, esse exercício substitui os pensamentos desconfortáveis por ações práticas e simples. 

3. Definir pequenas metas

Outro aspecto que motiva a procrastinação é a criação de metas irreais ou complexas demais. Isso acontece porque essas tarefas normalmente são colocadas em segundo plano em prol das mais simples. 

Para alcançar esses objetivos “maiores”, Caroline recomenda uma divisão dessas metas em etapas menores e com prazos possíveis de serem cumpridos. Dessa forma, os pequenos passos rumo ao projeto se tornam conquistas e fortalecem a autoestima. “A sensação de conseguir realizar uma meta poderá encorajar a pessoa a continuar enfrentando a procrastinação”, destaca Renata Tavolaro. 

Caroline Marcon é consultora organizacional e coach executiva (Foto: Divulgação)

4. Evitar o medo

Muitas vezes, o medo age como barreira para o cumprimento dos objetivos traçados. Seja por falta de confiança em si mesmo ou pelo “temor” do sucesso, as pessoas acabam adiando situações que causem insegurança ou as desagradem de alguma maneira. 

Caroline Marcon argumenta que o “medo do sucesso” é bastante comum e atinge principalmente o aspecto profissional. Para ela, muitas pessoas atrasam etapas essenciais para o crescimento acadêmico ou no trabalho por receio de se destacar e ficar em evidência. 

Segundo a especialista, várias mulheres sofrem com essa questão por temerem uma carreira mais bem-sucedida do que a dos maridos, por exemplo. Nesse cenário, ela indica que o assunto seja discutido entre o casal e que a mulher não se sinta desencorajada a seguir os seus planos. 

Em todos os casos, Caroline recomenda que o problema seja encarado e que seja feita uma autorreflexão sobre quais são os reais objetivos. Em seguida, é preciso definir se a pessoa está disposta a enfrentar os medos e empecilhos para alcançá-los. 

5. Ter objetivos claros

Saber onde quer chegar é imprescindível para ter foco e, consequentemente, evitar a procrastinação. Como explicado na dica anterior, metas bem definidas facilitam a tomada de decisão e a escolha do que deve ser priorizado. Com os planos desenvolvidos e o objetivo em foco, outros problemas são evitados, como a angústia e a sensação de incapacidade e estagnação. 

6. Empregar o tempo disponível da melhor maneira

Caroline defende que o tempo deve ser bem utilizado para evitar a procrastinação. Isso significa que não basta anotar as tarefas a serem realizadas ou passar horas em frente ao computador para trabalhar. Esse período dedicado às tarefas precisa ser bem aproveitado e com foco no cumprimento do que é mais importante naquele momento. 

Para a especialista, o trabalho com  foco realizado por poucas horas é mais valioso do que usar um dia todo para resolver as pendências e fazer uma série de intervalos devido às distrações. 

7. Mudar a rotina 

Outra alternativa para se livrar da protelação rotineira é mudar os hábitos do dia a dia. A coach executiva indica que pessoas acometidas desse mal busquem alterar aspectos como o horário de dormir ou acordar ou até a dieta. Segundo ela, o autocuidado pode ajudá-las, uma vez que representa um compromisso pessoal e permite a conquista de metas relacionadas ao próprio corpo. 

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: