3 lições de autonomia feminina nas obras de Jane Austen

Autora de grandes obras como “Orgulho e Preconceito”, “Razão e Sensibilidade” e “Emma”, ela construiu personagens femininas à frente de seu tempo
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

No dia 16 de dezembro de 1775, em Steventon, na Inglaterra, nascia a sétima filha do reverendo George Austen, o pároco anglicano local, e de sua esposa Cassandra. Jane Austen, que veio de uma família inglesa agrária e nobre, se tornou uma das mais importantes escritoras da literatura mundial. 

A autora de grandes obras como “Orgulho e Preconceito”,  “Razão e Sensibilidade” e “Emma” é relembrada, até hoje, não apenas pelos seus romances de épocas dignos de borboletas no estômago, mas também por não deixar de lado as críticas sociais e construir personagens femininas à frente de seu tempo.

Jane começou a escrever ainda nova, por volta dos 12 anos de idade. Não à toa, já possuía uma maturidade na escrita quando adentrou a idade adulta. Mesmo assim, inserida em um contexto histórico arcaico, Jane Austen viveu grande parte de sua vida ainda dependente de forma financeira. Foi apenas aos 36 anos que a autora recebeu o próprio dinheiro, quando lançou a obra “Razão e Sensibilidade”.

Por outro lado, ainda que inseridas em uma época em que as mulheres tinham pouca autonomia, as personagens de Jane nadam, como podem, contra a maré.

LEIA TAMBÉM

Hoje (18) completam-se 205 anos da morte da escritora. Para relembrar seu legado, veja, a seguir, 3 lições de autonomia feminina nas obras de Jane Austen:

  1. Procure mais do que um bom casamento

“Eu posso ter perdido meu coração, mas não meu autocontrole.” A passagem do romance “Emma” evidencia uma das premissas de Jane em seus contos. Na época em que suas obras estão inseridas, uma mulher bem sucedida é uma mulher bem casada. Ainda assim, suas personagens estão sempre na busca de algo mais: amor e respeito. Em outras palavras, a escritora nos pede – e ensina – a nunca aceitar menos do que merecemos. 

  1. Não deixe de lado suas convicções – mas reconheça seus erros

Se há algo em comum entre as personagens de Jane Austen, isso é o gênio forte das mulheres. Em suas obras, elas nunca deixam de lado seus valores, inclusive recusando casamentos que não lhe agradam – o que poderia ser considerado um choque para a época. Ainda assim, os romances apontam que é importante reconhecer os erros, e que não há problema algum em voltar atrás quando estamos arrependidas.

  1. Sempre imponha a sua vontade

Sim, precisamos tomar cuidado com cada atitude que tomamos, afinal, tudo tem uma consequência. Mesmo assim, Jane Austen apresenta em suas obras mulheres que impõe as suas vontades e desejos – e que quando não fazem isso, se arrependem. É importante não se deixar levar pela pressão, e sempre seguir seu coração.

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: