ArcelorMittal cria fundo de R$ 100 milhões para investir em startups no Brasil

Empresa será a única cotista e o plano é investir no prazo de quatro anos em 15 startups
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

O grupo siderúrgico ArcelorMittal anunciou hoje (18) que vai criar um fundo com investimento de R$ 100 milhões voltado ao desenvolvimento de startups no Brasil, com os primeiros desembolsos podendo ocorrer já neste ano.

O fundo, o primeiro do tipo criado pela companhia no mundo, vem junto com a criação de uma nova diretoria no grupo no país voltada para estratégia, inovação e transformação de negócios.

OLHA SÓ: Investimento estrangeiro em portfólio no país cai em março após 9 meses de alta

“Em julho pretendemos que fundo esteja operacional. Estamos conversando agora sobre qual gestora vai administrar”, afirmou a diretora de inovação e transformação da ArcelorMittal Aços Longos, Paula Harraca.

“O que muda é trazer para o centro da estratégia, de maneira mais forte, essas pautas de futuro que são desafiadoras na indústria de base”, acrescentou a executiva, referindo-se a questões das agendas ambiental, de sustentabilidade e governança (ESG) e também de desenvolvimento de negócios, incluindo novos produtos e soluções para áreas como distribuição e logística.

A executiva afirmou que a ArcelorMittal será única cotista do fundo e que o plano é investir no prazo de quatro anos em 15 startups que já tenham soluções testadas nessas áreas de foco e potencial de crescimento. Inclusão no fundo de empresas da região da América Latina não está descartada, disse Harraca.

Conversas com duas startups, uma de tecnologia voltada ao setor de construção e outra na área de energia, já estão em andamento, mas Harraca evitou citar nomes. O investimento “na construtec e na de energia tem boas chances de ocorrer neste ano”, afirmou.

Outros tradicionais grupos siderúrgicos do país, como Gerdau e mais recentemente CSN, também montaram nos últimos anos centros de investimento em tecnologia, como forma de acelerar processos de ganhos de eficiência e de descoberta de novas frentes de negócios.

E AINDA: B3 testa plataforma online para rodadas de financiamento de startups

O investimento anunciado pela ArcelorMittal nesta terça representa um passo maior, após o grupo ter criado há três anos no Brasil sua própria estrutura de desenvolvimento de startups. Chamado de Açolab, é considerado pela companhia como primeiro hub de inovação da indústria do aço do mundo e já mantém conexões com 4.500 startups do país, segundo a ArcelorMittal.

(com Reuters)

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: