Brasil deve ter novo recorde de IPOs e levantar R$ 250 bilhões em 2021

A abertura de capital da rede de academias Smartfit é uma das mais aguardadas da semana
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

As ofertas públicas de ações (IPOs) podem alcançar novos recordes ao longo deste ano, informou uma reportagem publicada pela Folha de São Paulo. A estimativa é que as operações somem de R$ 200 bilhões a R$ 250 bilhões até o fim de 2021. Em 2020 foram R$ 117,5 bilhões.

A publicação do jornal destacou ainda que só neste ano já foram lançados 29 IPOs, frente os 28 feitos no ano passado. Também já foram feitas 16 ofertas subsequentes de ações (follow ons), ante 23 em 2020.

OLHA SÓ: Relatório Focus aponta para maior aperto monetário em 2021 e 2022

“A previsão é que, nesta semana, haja a precificação de ao menos quatro IPOs, que devem movimentar R$ 10 bilhões. Considerando todas as 22 ofertas esperadas (16 já protocoladas e com previsão para precificação até 5 de agosto e outras seis ofertas a confirmar), a movimentação total deve ultrapassar os R$ 40 bilhões”, diz o jornal.

Apesar das boas estimativas para o mercado de capitais, os executivos ouvidos pela Folha afirmam que o cenário não é estável e pode mudar. Isso porque a concretização depende de estabilidade do mercado e do apetite dos investidores.

Esse apetite pode ser sentido durante as conversas que as empresas têm com o mercado antes de abrirem seu capital efetivamente, durante o processo de bookbuilding, estratégia usada para definir o preço justo de uma ação.

A Folha detalhou ainda que existem algumas companhias que podem reduzir sua oferta ou mesmo adiar a estreia na Bolsa de Valores, como a Raízen e a Oncoclínicas. O preço estaria salgado e existe a possibilidade de que a empresa opte por adiar seu IPO.

IPOs que devem sair nas próximas semanas:

Smartfit – 12 de julho


CBA – 1
3 de julho


Intercement –
14 de julho


Multilaser –
15 de julho


Méliuz (follow on) –
15 de julho


Desktop –
19 de julho


AgroGalaxy –
19 de julho


Unifique –
23 de julho


Armac –
26 de julho


Traders Club –
26 de julho


Brisanet –
27 de julho


Raízen –
27 de julho


Oncoclínicas –
28 de julho


Tópico –
28 de julho


Clearsale –
28 de julho


CSN Cimentos – ​
5 de agosto

(Com informações da Folha de São Paulo)

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: