Como as deputadas federais votaram na sessão da PEC dos Precatórios

Aprovado na madrugada de hoje, texto altera o pagamento de dívidas do governo para garantir Auxílio Brasil
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
abre_financas_camara-dos-deputados_04nov2021_marcelo-camargo_agenciabrasil
Câmara dos Deputados (Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

Foi aprovada em primeira votação, na madrugada de hoje (4), por 312 votos a 144 na Câmara dos Deputados, o texto-base do relator Hugo Motta (Republicanos-PB), da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 23/21. Conhecida como PEC dos Precatórios, a medida limita o valor de despesas anuais com precatórios – dívidas que o governo possui decorrente de ações judiciais perdidas -, corrige seus valores exclusivamente pela taxa Selic e muda a forma de calcular o teto de gastos. 

A aprovação era, segundo o governo, imprescindível para o financiamento do Auxílio Brasil, programa de distribuição de renda que vai substituir o Bolsa Família. A notícia, no entanto, deixou o mercado de mau humor. Segundo especialistas, a medida pode ser considerada uma institucionalização do calote, além de desequilibrar as contas públicas no próximo ano.

LEIA TAMBÉM: Câmara aprova texto-base da PEC dos Precatórios em primeiro turno

Das 73 deputadas federais que fazem parte atualmente da Câmara, 41 votaram a favor da iniciativa, 24 se manifestaram contra e oito se ausentaram. Veja, a seguir, como votou cada uma das deputadas federais na sessão de hoje:

Para a deputada Marília Arraes, do PT, a PEC dos Precatórios foi uma uma proposta irresponsável do Governo Federal. “Com sua aprovação, a União dará um calote de R$ 95 bilhões em dívidas do Poder Público já reconhecidas pela Justiça e que a União tem a obrigação de pagar. Votei contra a PEC pois não sabemos o que será feito, de fato, com esse dinheiro. Bolsonaro alega que o montante será usado no Auxílio Brasil, mas não diz quantas famílias serão beneficiadas, como o dinheiro será entregue e nem o que as famílias terão que fazer para se cadastrar”, diz.

Já Carla Zambelli, do PSL, que votou a favor da PEC, discorda com discurso sobre responsabilidade fiscal. “É responsável obrigar a  União a pagar dívidas de outro governo, sem previsibilidade e em meio a uma pandemia, desamparando vulneráveis?”, perguntou nas redes sociais.

O texto ainda precisa ser submetido à aprovação do Senado e, em seguida, passar pela sanção do presidente Jair Bolsonaro. 

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Participe da live Meu Primeiro Investimento

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: