8 dicas para pedir – e conseguir – um aumento de salário

Negociações vão muito além dos números e requerem preparação técnica e psicológica dos profissionais
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
40% dos profissionais brasileiros estão insatisfeitos com o salário (Foto:rawpixel.com/FreePik)

Em algum momento da carreira, quase todos os profissionais se sentirão tentados a pedir um aumento salarial. Essa sensação pode vir anos ou até meses depois da contratação, seja por uma impressão de desvalorização ou depois do recebimento de uma nova proposta de trabalho. 

De acordo com um levantamento da companhia especializada em recrutamento Robert Half feito no início de 2020, 40% dos profissionais brasileiros estão insatisfeitos com o salário que recebem atualmente. Destes, 43% afirmam que possuem mais responsabilidades do que o previsto, enquanto 22% dizem que recebem menos do que a média do mercado. Outros 11% ainda alegam ter um ganho inferior ao de outros colegas da empresa na mesma posição. 

Conheça a plataforma de educação financeira e emocional EQL Educar. Assine já!

Apesar desse sentimento comum, a insegurança e o medo costumam ser os protagonistas de momentos como este. “É importante não ter vergonha. Essa é uma situação que faz parte das rotinas de uma organização”, explica Patrícia Suzuki, diretora de recursos humanos da Catho, plataforma de vagas online. Assim, a dica é  planejar o pedido para que a proposta, além de coerente, seja conduzida de um modo mais convincente em relação ao empregador. “Mantenha-se aberto ao diálogo e avalie como a proposta pode ajudá-lo”, completa. 

Uma boa maneira de iniciar o processo é estimando qual será o valor do aumento. Para isso, o profissional deve pesquisar as faixas salariais do seu respectivo cargo e nível. Esses valores normalmente estão disponíveis em portais de empregabilidade, como é o caso da própria Catho, do Vagas.com e do Guia da Carreira. Diante das informações, basta que o colaborador delimite qual será o acréscimo mínimo que ele estará disposto a aceitar. A mentora de carreiras e fundadora da Iventys Educação Corporativa, Marcela Brito, lembra ainda que é necessário fazer essa comparação com empresas do mesmo porte e segmento. “Não adianta trabalhar em uma companhia média e pedir um salário de multinacional, são negócios diferentes”, afirma. 

Por fim, quanto maior os números e resultados apresentados por um funcionário, mais chances ele tem durante a negociação. “Tempo de trabalho e pequenas mudanças de função não são argumentos muito sólidos para justificar alterações de valores”, explica Marcela. Assim, o melhor argumento ainda é recorrer ao próprio desempenho.

Veja, a seguir, 8 dicas de como negociar um aumento salarial com sucesso segundo as especialistas:

Mereça o aumento

Produtividade é um dos segredos para o sucesso (Foto: Andrea Piacquadio/FreePik)

Para que a negociação tenha sucesso, um dos quesitos mais importantes é o merecimento. Para tanto, os profissionais devem se submeter a uma espécie de autoavaliação antes de considerar a evolução salarial. “A minha demanda de trabalho tem aumentado?”e “como estão meus resultados?” são, segundo as especialistas, algumas das perguntas que devem ser feitas, além de um levantamento sobre a própria produtividade e  desempenho. Outro ponto a se considerar é o comportamento diante de clientes e do restante da equipe. “Aqueles funcionários que possuem alta capacidade técnica e um bom relacionamento interpessoal são ativos valiosos para a empresa”, pontua Marcela. 

Crie um relacionamento com o gestor

Pouco adianta surgir com uma proposta perfeita se, no dia a dia, o colaborador adota uma postura distante dos líderes da empresa. “Aquele que se mantém à vista costuma passar uma imagem mais confiável para os gestores”, aponta Marcela. Além disso, essa construção de vínculo profissional facilita o processo de convencimento, afinal, o superior já terá uma noção do volume e da qualidade do trabalho oferecido. 

Leve números

Construa argumentos com base nos números (Foto: Rodnae Productions/FreePik)

Na hora de negociar o salário, vale considerar a máxima “contra fatos não há argumentos”. Por isso, o profissional deve manter o hábito de elaborar relatórios quinzenais e resumos mensais sobre a própria performance, a fim de usá-los em momentos oportunos. “Fale na linguagem do gestor, leve números e gráficos”, aconselha Marcela. Além de deixar os itens anteriores (merecimento e argumentação) mais claros e objetivos, esse tipo de dado ainda tende a aumentar a credibilidade do funcionário. 

Tenha os argumentos certos

É natural que, durante a conversa com o superior, o pedido seja acompanhado de um motivo. No entanto, justificar o aumento com problemas de ordem pessoal – como dívidas, doenças e gastos inesperados – pode ser uma cilada. “Você deve merecer o aumento, e não precisar dele”, aponta Patrícia. Assim, é importante que o bônus salarial esteja associado às questões práticas do trabalho, como aumento de escopo e performance destacada. 

LEIA MAIS: Entenda por que o número de mulheres contratadas na área de tecnologia quase dobrou em 2021

Treine sua fala

Uma fala segura aumenta as chances na hora da negociação (Foto: Pavel Danilyuk/FreePik)

A demonstração excessiva de insegurança pode fazer com que o empregador desconfie da força dos argumentos utilizados pelo profissional, aponta a diretora de RH. Algumas maneiras de evitar essa situação são treinamento e preparação. No primeiro caso, é indicado que o funcionário procure ajuda de uma pessoa de confiança para simular o pedido ou que grave um vídeo para analisar o que pode ser melhorado. Por fim, também é interessante elaborar respostas para todas as potenciais perguntas do gestor, evitando surpresas desagradáveis durante a conversa. “Defenda sua fala com assertividade e clareza, isso gerará um impacto mais positivo e, consequentemente, melhor resultado”, pontua Marcela Brito. 

Solicite uma reunião

Embora pareça óbvio que o pedido de aumento deve ser feito presencialmente e com certa privacidade, abordar o gestor durante um intervalo ou no meio do expediente sem aviso prévio pode acarretar em prejuízos para a negociação. Sendo assim, o mais indicado é solicitar uma reunião, de forma que o tempo e a atenção do líder estejam 100% voltados para o pedido do funcionário. “Faça esse encontro com hora marcada e encare como uma apresentação. Elabore slides curtos, se preferir”, considera Marcela. 

Seja estratégico

É importante identificar o melhor momento para o pedido (Foto: Karolina Grabowska/FreePik)

Além da fala e da argumentação, é importante que o profissional consiga identificar o momento mais estratégico para receber um “sim”. “Se o setor no qual você trabalha estiver passando por uma crise, o ideal é esperar esse cenário melhorar para tocar no assunto de dinheiro”, diz Patrícia. Outros períodos desfavoráveis incluem datas próximas a grandes eventos, entregas ou qualquer outra eventualidade que gere preocupações para a equipe. 

Esteja aberta a negociações

Pode ser difícil controlar as expectativas, mas é exatamente isso que favorece a negociação de salário. Em vez de aceitar o primeiro “não” ou uma proposta inferior àquela apresentada, o colaborador deve se manter aberto a negociações para não sair da sala de reunião na mesma situação em que entrou. Uma das opções de compensação, por exemplo, é pedir um aumento no valor dos benefícios, como vale-transporte, vale-alimentação ou plano de saúde.

Fique por dentro de todas as novidades da EQL

Assine a EQL News e tenha acesso à newsletter da mulher independente emocional e financeiramente

Baixe gratuitamente a Planilha de Gastos Conscientes

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: