Comissão aprova projeto que prioriza mulheres microempreendedoras na concessão de crédito rural

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

Um projeto de lei que obriga o Executivo a privilegiar a concessão de crédito e assistência técnica para as mulheres do campo que exerçam atividade microempreendedora, em regime familiar, foi aprovado nesta quarta-feira (26), na Câmara dos Deputados.

A proposta é do deputado Vilson da Fetaemg (PSB-MG) e de outros nove parlamentares do PSB. O PL estabelece que deverão ser beneficiadas mulheres que se dediquem à agricultura, ao extrativismo, a pequenas agroindústrias, ao turismo rural e ao artesanato.

O texto diz ainda que Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deverá abrir uma linha de crédito específica para as microempreendedoras rurais, com taxa de juros iguais ou inferiores à taxa Selic. O recurso deverá ser depositado no banco onde a empreendedora tiver conta.

As mulheres também terão acesso a recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para aplicar em atividades inovadoras.

OLHA SÓ: Pela primeira vez, Libertadores terá equipe de arbitragem 100% feminina

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados votou e o parecer da relatora, deputada Dra. Soraya Manato (PSL-ES), foi favorável à proposta.

“As medidas são oportunas do ponto de vista econômico e social, pois, simultaneamente, contribuirão para a geração de renda e a criação de postos de trabalho no âmbito das atividades desenvolvidas por mulheres no campo e conferirão maior dinamismo às economias locais”, avaliou.

O projeto agora será analisado em caráter conclusivo pelas comissões dos Direitos da Mulher; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

(Com Agência Câmara de Notícias)

Siga Elas Que Lucrem nas redes sociais:

Siga Elas Que Lucrem: