Investi e perdi dinheiro. O que eu faço agora?

Você não precisa desistir de fazer investimentos ou ter medo quando algum imprevisto acontece. Veja as dicas de como superar essa situação e recomeçar 
JOB_03_REDES_SOCIAIS_EQL_AVATARES_QUADRADOS_PERFIL_v1-02

Você não precisa desistir de fazer investimentos ou ter medo quando algum imprevisto acontece. Veja as dicas de como superar essa situação e recomeçar 

investi e perdi dinheiro.

Quem investe dinheiro sabe que pode acontecer diferentes variações nesse percurso, mas nem sempre estamos preparadas para viver situações negativas, em que há a perda do dinheiro. 

Porém, não necessariamente você precisa jogar tudo para o alto e desistir de continuar nesse caminho. 

Por isso, preparamos um artigo que vai te orientar melhor sobre o que fazer nessas situações e como encarar melhor a jornada de investimentos.

Eu já tinha medo…agora, tenho mais ainda! 

Assim como você, muita gente enfrenta o fantasma do medo de investir. Essa realidade é tão forte que em estudo publicado em 2022, pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), em conjunto com o instituto de pesquisa Datafolha, com o “Raio-x do Investidor Brasileiro” mostra que, no Brasil, apenas 36% das pessoas investem dinheiro em algum tipo de ativo. 

Se debruçarmos nesses números em relação a gênero, apesar de ter tido um aumento entre os anos, o volume de mulheres que possuem aplicações financeiras ainda é de 33%. Entre os homens, esse volume atinge 40%. 

Outro dado curioso é que entre as mulheres investidoras, metade está presente na classe C, com estudo até o ensino médio e idades entre 35 e 59 anos. Além disso, 47% desse público afirma que realiza aplicações com o objetivo de ter uma segurança financeira e uma reserva, enquanto os homens estão em busca de retorno financeiro.   

Em paralelo, as mulheres que não realizam investimentos dizem que não o fazem por falta de condição financeira e salários baixos para tal. 

Para Ana Fan, influenciadora digital de finanças e negócios, de Porto Alegre, as pessoas têm medo de investir por dois motivos:

“O primeiro é a desinformação, pois temos medo daquilo que não conhecemos e dominamos. Investir muitas vezes traz uma série de dados, números, gráficos e telas que aparentemente não fazem sentido em um primeiro momento. E o segundo motivo é a forma como é difundida a ideia de investimento no Brasil, rotulado quase como um cassino, quando na verdade não é.”  

Ela ainda explica que muito desse medo é porque as pessoas desconhecem investimentos mais conservadores e seguros, que não apresentam tanta volatilidade como a bolsa de valores, por exemplo. 

“O melhor jeito de começar a investir é por meio de investimentos seguros, que nós chamamos de renda fixa, em que o retorno é praticamente certo e possuem um baixo risco. Investimentos ótimos para iniciantes são o Tesouro Selic, que é um investimento fornecido pelo Tesouro Nacional, ou seja, você está comprando um Título Público Federal, e CDBs de bancos que rendem no mínimo 100% do CDI. Também há outros investimentos de renda fixa interessantes, como as LCI’s e as LCA’s”., explica.

Mas eu perdi dinheiro, e agora? 

Fato consumado. Você fez um investimento e não teve o retorno esperado, e agora? Bom, a especialista alerta: 

“A primeira coisa é entender o que é perder dinheiro. Justamente porque se você comprou uma ação, ou qualquer investimento de renda variável, é um movimento normal do mercado ela se desvalorizar por alguns momentos.”

“Se você comprou uma ação e ela se desvalorizou, você não perdeu aquele dinheiro porque não efetuou a venda dela ainda. Você ainda tem ela, basta esperar o mercado reagir e valorizar sua ação novamente. Só seria uma perda se você efetivamente vender por menos do que você comprou.”, exemplifica.

Ou seja, na verdade quem faz investimentos precisa antes de mais nada, como já explicamos, buscar fontes de conhecimento para entender todos os cenários possíveis dentro da sua escolha pelo ativo, e também uma dose de controle emocional, para não acreditar que está saindo no prejuízo dentro de algum movimento negativo. 

E a Ana nos ajuda a entender qual o passo a passo para quem perdeu dinheiro com um investimento: 

Dica 1 – Acalme-se

“Caso você tenha perdido dinheiro com uma compra ou venda, o primeiro passo é se acalmar e não agir no impulso de vender ou comprar mais. Porque muitas vezes entramos em uma situação de tanto estresse que queremos “jogar tudo para o alto” e abandonar tudo.”

Dica 2 – Aprenda

“Em seguida, devemos enxergar a situação como uma oportunidade de aprender mais. O que que eu não sei ainda e posso aprender para evitar essas situações?”

Dica 3 – Reavalie seu perfil

“Aproveite para reavaliar qual o seu perfil de investidor, justamente porque se você não tiver um perfil com aptidão à risco, nunca vai lidar bem com as perdas normais do mercado. É de extrema importância que você realize o teste, que pode ser feito pela sua corretora de valores ou banco.”, pontua.

Dica final: invista sim! 

Por fim, mesmo que tudo nesse momento pareça arriscado e você esteja um pouco frustrada em relação a uma perda financeira momentânea, a dica final é que investir é algo muito importante e valioso.

“Além de ser um fonte de renda extra, investir e se organizar financeiramente evitam uma série de problemas, como: não criar dívidas e permanecer com o nome limpo, ou até mesmo caso já esteja com alguma pendência, conseguir apresentar um plano de renegociação de dívida para a instituição e ainda conseguir desconto em razão disso, fora conseguir ter um orçamento para emergências.”, explica.

Sem, é claro, esquecer que para nós mulheres há ainda outra consideração importante nisso tudo: nós estamos e precisamos continuar nos aprofundando nesses temas, pois nunca fomos incentivadas e temos um contexto histórico atrasado em relação aos homens. 

“É uma área dominada majoritariamente por homens e historicamente a nossa construção social nos coloca em outro espaço, não como provedoras e responsáveis pelo sustento. E esse tabu ainda está enraizado em nós. Acredito que para resolver essa questão, nós precisamos de maior visibilidade e iniciativas a respeito do tema, assim como o “Elas que Lucrem”, porque dinheiro é coisa de mulher SIM!”, finaliza. 

Para mais dicas de investimentos, acesse eql.com.br

Leia mais: Investimentos para iniciantes: Por onde começar?

Compartilhar a matéria:

×